Corpo de Gugu é liberado; família espera chegada ao Brasil na quinta

em alta
25.11.2019, 16:18:00
Atualizado: 25.11.2019, 16:19:13
(Foto: Reprodução)

Corpo de Gugu é liberado; família espera chegada ao Brasil na quinta

Órgãos do apresentador serão doados e beneficiarão até 50 pessoas

O corpo do apresentador Gugu Liberato foi liberado pelo instituto responsável pelas necropsias e laudos dos Estados Unidos. O ex-Record e SBT morreu na última semana por conta de um acidente doméstico em sua mansão na cidade de Orlando.

Segundo o UOL, o documento de liberação foi assinado pelo primogênito de Gugu, João Augusto Liberato. Agora, a família aguarda a autorização da funerária para fazer o translado do corpo ao Brasil para sepultamento.

De acordo com a assessoria do apresentador, a previsão é de que a chegada ao país aconteça na quinta-feira (28). 

O velório do apresentador acontecerá na assembleia Legislativa do Estado de São Paulo e será aberto ao público. O sepultamento acontecerá no Cemitério do Morumbi.

Doação de órgãos
Os órgãos de Gugu serão doados, numa iniciativa que pode beneficiar até 50 pacientes. De acordo com a assessoria de imprensa, esse era um desejo dele. A estimativa de beneficiários foi dada por médicos do Orlando Health Medical Center à família, que já autorizou a doação. 

Além dos órgãos, será possível utilizar córnea, pele, ossos etc. Os Estados Unidos têm um sistema bem mais avançado de doação de órgãos e já conseguem utilizar muitas partes do corpo que, no Brasil, ainda não são usadas para transplante.

Gugu teve uma queda acidental quando fazia um reparo no ar condicionado instalado no sótão de sua casa, em Orlando. Ele caiu de uma altura de quatro metros, e foi prontamente socorrido por uma equipe de resgate, que o encaminhou ao Orlando Health Medical Center .

(Foto: Reprodução)

"[Lá] permaneceu na Unidade de Terapia Intensiva, acompanhado pela equipe médica local. Na admissão, deu entrada em escala de Glasgow 3 [usada para medir a consciência e a evolução das lesões cerebrais], e os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação, foi constatada a ausência de atividade cerebral", afirmou nota oficial divulgada por sua assessoria.

Segundo o comunicado, a morte encefálica foi confirmada pelo prof. dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que, após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico. O diagnóstico foi feito diante de sua mãe, Maria do Céu, de 90 anos, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

'Se deteriorou'
O médico brasileiro que confirmou a morte encefálica de Gugu Liberato explicou o procedimento, que aconteceu em um hospital de Orlando, nos EUA, onde o apresentador se acidentou. Guilherme Lepsky contou em entrevista ao Jornal Nacional que o apresentador não chegou à unidade médica com quadro de morte cerebral, mas seu estado de saúde piorou de maneira muito rápida. 

"Aí foi um tempo para se declarar a morte encefálica, um tempo maior. Porque a gente precisa ter um tempo de observação. Uma coisa é avaliação da gravidade neurológica no momento que o paciente entra. Outra coisa é diagnóstico da morte encefálica, que demanda tempo. Tinha alguma atividade respiratória no início, então não era de início morte encefálica. Tinha alguma atividade na prova de apneia, uma prova que se faz. Acontece que o quadro foi se deteriorando rapidamente. E aí as provas subsequentes comprovaram isso (a morte cerebral)", diz.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas