CORREIO 'antecipou' tema da redação do Enem 2017; entenda

salvador
06.11.2017, 18:00:21
Atualizado: 06.11.2017, 18:25:52
A estudante surda Jaiane Lopes, 23, da Aesos, comemorou o tema da redação (Foto: Betto Jr./Arquivo CORREIO)

CORREIO 'antecipou' tema da redação do Enem 2017; entenda

Reportagem falou sobre situação de candidatos surdos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

“Não é possível mensurar a minha felicidade e satisfação em saber do tema da redação do Enem 2017! Lágrimas e emoção é o que consigo expressar nesse momento”, conta a professora Nanci Araújo Bento, professora de língua portuguesa para surdos na Associação Educacional Sons do Silêncio (Aesos), no bairro do Imbuí, em Salvador.

O tema da redação do Enem 2017 foi “Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”. “Foi muito bom! Fiquei muito feliz”, conta entusiasmada a estudante surda Jaiane Lopes, 23 anos. A professora de redação Regina Luz disse que se surpreendeu com o tema. “Achei bastante específico. Nós trabalhamos o tema de modo geral, a inclusão de deficientes”, explica. Em setembro, o CORREIO mostrou como seria o atendimento aos candidatos surdos.

“Sem sombra de dúvidas, é um avanço no sentido de forçar o debate”, afirma a professora Nanci.

O Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines) afirmou, em nota, que o tema da redação foi uma grata surpresa e que é importante discutir o assunto não só com os surdos. “Quanto mais isso acontecer, mais rápido estaremos caminhando rumo à cidadania plena e a garantia de direitos dessa parcela da população”, acredita.

Este ano, o Enem ofereceu de forma inédita e experimental a opção de videoprova, que traduziu o exame integralmente para Libras (língua brasileira de sinais). “Nossos alunos que fizeram o exame ontem (domingo) têm comentado empolgados sobre a experiência. Se sentiram mais confiantes ao receber a prova na sua língua natural, a língua de sinais”, afirmou o Ines, no comunicado. Na Bahia, 311 candidatos optaram pela videoprova, segundo o Inep.

Um questionário de avaliação com perguntas e respostas apresentadas em Libras está disponível na página do participante. A partir da avaliação dos participantes, o Inep fará ajustes necessários no recurso. A expectativa do instituto é que mais surdos e deficientes auditivos optem pela videoprova nos próximos anos.

O exame incluiu em 2017 também outros atendimentos especializados aos candidatos com condições de autismo, baixa visão, cegueira, deficiência física, deficiência intelectual/mental, déficit de atenção, discalculia, dislexia, surdez, deficiência auditiva, surdocegueira e visão monocular. O atendimento específico é garantido para gestantes, idosos, lactantes, dentre outras condições específicas, como diabéticos que utilizam bomba de insulina.

Na Bahia, 2.531 candidatos solicitaram atendimento especializado e 857 solicitaram atendimento específico para o Enem 2017. A redução do número de atendimentos específicos se deve, principalmente, aos sabatistas, candidatos que solicitavam iniciar a prova que era aplicada no sábado mais tarde por motivos religiosos.

O Enem 2017 ocorre pela primeira vez em dois domingos consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro. No próximo dia 12, os candidatos farão as provas de Ciências da Natureza e Matemática.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas