Critério de vacinação pode ser apenas a idade a partir de quinta-feira (20)

coronavírus
17.05.2021, 15:16:00
Atualizado: 17.05.2021, 18:16:32
Profissionais de segurança e da limpeza começam a ser imunizados nesta terça-feira (18) (Foto: Arisson Marinho/ CORREIO )

Critério de vacinação pode ser apenas a idade a partir de quinta-feira (20)

Prefeitura defende essa abordagem, e sugestão será analisada nos próximos dias

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

No que depender da Prefeitura de Salvador o próximo critério para receber a vacina contra o coronavírus será apenas a idade, dos mais velhos para os mais jovens. Essa proposta será analisada pela Comissão Intergestores Bipartite da Bahia (CIB) e, se for aprovada, pode entrar em vigor a partir de quinta-feira (20). Os trabalhadores da segurança e da limpeza acima de 18 anos, último grupo prioritário, serão vacinados nesta terça (18). 

O prefeito Bruno Reis fez o anúncio em um evento virtual para a entrega do novo Terminal da Barroquinha, nesta segunda (17). Ele lembrou que o governo federal criou quatro grupos prioritários. O primeiro, de idosos acima de 74 anos. O segundo, de pessoas com 60 ou mais. O terceiro, de pessoas com comorbidade. E o quarto de profissionais de serviços essenciais, como os trabalhadores da saúde, do transporte público e da educação.

“Defendo que agora que foram vacinados os mais vulneráveis e os essenciais, nós devemos descer por idade. Acredito que esse é o critério mais justo. Isso vai facilitar o processo, evitar a perda de tempo para checar os dados da pessoa na lista, e os conflitos na hora da vacinação, então, eu acredito que o critério mais justo é fazer por idade”, afirmou.  

Prefeito comenta sobre o asssunto durante entrega de obra (Foto: Betto Jr/ Secom)

Alguns sindicatos ainda lutam para incluir suas categorias na lista de prioridades, mas essa decisão será tomada pela CIB nos próximos dias. Composta pelos 417 secretários de saúde municipais e do governo estadual, é essa organização que decide quais públicos que terão prioridade a partir de agora.

Terceira onda
A taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aumentaram quatro pontos percentuais nos últimos sete dias em Salvador, saindo de 75% para 79%. No boletim desta segunda (17), a taxa subiu para 81%. O prefeito teme que uma terceira onda de coronavírus esteja a caminho.

“Faço um apelo, para que não tenhamos que adotar novas medidas de isolamento social, precisamos, todos, nos cuidar. Há o risco de chegar uma terceira onda, não só a Salvador, mas a todas as cidades do Brasil. Isso aconteceu no mundo, e as histórias da pandemia registram uma terceira onda, então, precisamos nos cuidar”, disse.

A ocupação dos seis gripários de Salvador também está em alta. Segundo os dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), até o dia 16 de maio essas unidades já haviam atendido 7.761 pacientes, sendo que em 11 dias o número de pessoas atendidas passou de 400 em 24 horas. No mês de abril inteiro foram 9.897 atendimentos, com oito dias acima de 400 casos.

Na tarde desta segunda (17), no gripário dos Barris, a fila de espera era grande. Adilson Rodrigues, de 53 anos, era um dos que aguardavam atendimento. Por conta do cansaço que estava sentindo, a solução foi deitar na calçada enquanto esperava. “Deitei porque estou cansado, estou com o corpo mole, fraqueza. Eu fiquei dois dias sentindo calafrios e suando muito, aí depois surgiu dor de cabeça e a garganta ressecada. Isso tudo começou na quarta-feira (12), aí hoje decidi vir”, disse ele.

Adilson chegou por volta das 8h e, às 15h, ainda não tinha sido atendido. O número da sua ficha era 121. “Pelo que eu vi, estava atendendo a ficha 43 quando eu cheguei, aí depois disso só vi chamando mais 10 pessoas. E eles estão passando na frente quem chega de emergência, em estado bem complicado já. Desde a hora que eu cheguei, vi muita gente chegar aqui assim”, completou.

De acordo com outras pessoas que estavam na fila, por volta das 15h, era a ficha 60 que estava sendo chamada. Ana Paula Santos, de 24 anos, levou a mãe, Vera Lúcia Santos, de 42 anos, para fazer o teste. Elas chegaram por volta das 14h e receberam a ficha de número 235. Dona Vera estava com dor no corpo, dor de cabeça, febre e tosse seca. “Ela não está conseguindo nem ficar em pé, aí tentamos pedir uma prioridade, mas disseram que tinha que aguardar mesmo. Pelo menos consegui colocar ela aqui no banco porque, como você pode ver, tem gente no chão mesmo”, disse a filha, Ana Paula. 

Os gripários atendem pacientes que apresentam sintomas de síndrome gripal, como covid, influenza e dengue, por exemplo. Na semana passada, ao anunciar o início da fase Amarela o prefeito afirmou que essas unidades estavam com alta demanda por conta das doenças comuns desse período. A situação não mudou. O dia mais caótico foi em 12 de maio, quando 659 pessoas foram atendidas.

Vacinação
No último fim de semana a prefeitura fez um mutirão para vacinação e conseguiu aplicar cerca de 50 mil doses. A dona de casa Marizete Neves, 46 anos, concorda com a proposta da vacinação por idade. “Se o critério for sempre a atividade profissional pessoas como eu, que não tem um trabalho formal, serão as últimas a serem protegidas. Então, o critério tem que ser mesmo a idade”, disse.

O presidente do Sindicato dos Comeciários, Renato Ezequiel, discorda. “Os trabalhadores do comércio são em grande maioria jovens e estão vulneráveis porque lidam no dia a dia com milhares de pessoas. É um setor muito importante para a economia e que está exposto. Toda a população deve e precisa ser vacinada, mas a categoria devia ter prioridade”, disse. São cerca de 90 mil trabalhadores.

O Sindicato dos Jornalistas da Bahia (SinjorBa) também defende a prioridade para os profissionais que estão trabalhando na linha de frente do enfrentamento à covid.

Mais doses

Até às 18h desta segunda (17), o Vacinômetro de Salvador indicava que o município já tinha aplicado um total de 652.043 primeiras doses contra a covid-19. Já em relação à segunda dose, o número é de 334.003. Somente nesta segunda (17), foram 14.689 pessoas vacinadas, sendo 4.803 com a segunda dose. 

O cronograma das vacinas de Oxford e da Pfizer está seguindo sem problemas, mas a situação da CoronaVac ainda é delicada. A cidade tem cerca de 20 mil pessoas que já deviam ter sido imunizadas e que ainda estão esperando para tomar a segunda dose. Na sexta-feira (14), Salvador recebeu 25 mil doses, e mais 17 mil no sábado. Isso ajudou a diminuir a fila, mas não foi suficiente para acabar com a espera. 

No entanto, a semana começa com a chegada de mais uma remessa de vacinas contra a covid-19 que prometem completar o esquema vacinal de quem já recebeu a primeira dose. De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab), mais 297.300 mil doses chegarão à Bahia nesta terça-feira (18). O voo comercial trazendo a nova remessa tem previsão de pouso no aeroporto de Salvador à 0h45. Do total de doses, 246.300 mil são da Oxford/Astrazeneca e 51.000 mil da Coronavac. 

Todas as vacinas serão destinadas para a segunda aplicação e todos os municípios estão aptos a receberem os imunobiológicos. Com esta carga, a Bahia totalizará 5.980.740 doses de imunizantes recebidos, sendo 3.035.800 da Coronavac, 2.849.000 AstraZeneca/Oxford e 95.940 da Pfizer.
 

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas