Cuidado com seu carro: veja situações que podem não parecer, mas rendem multa

só se vê no correio
05.06.2021, 05:34:00
Mudar a cor da pintura exige aviso prévio e mudança na documentação. Não obedecer essa regra pode render uma multa de R$ 195,23 e 5 pontos na CNH (Ilustração: Macrovector/ Freepik)

Cuidado com seu carro: veja situações que podem não parecer, mas rendem multa

É preciso estar atento para não danificar o veículo, perder a garantia e, em alguns casos, ser multado

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O carro é seu, mas você não pode fazer tudo com ele. É possível mudar a cor, personalizar algumas coisas, mas as regras devem ser observadas para evitar multas e até a apreensão do veículo. 

A pintura, por exemplo, pode mudar. Se o automóvel é preto e houve uma mudança para preto fosco, por meio de adesivos (envelopamento) ou por um processo de pintura, não há problema. 

Se a cor escolhida foi outra, é preciso regularizar a documentação no Detran previamente. Depois que o veículo tiver sua pintura alterada, será necessário voltar ao órgão para emitir um novo Certificado de Registro do Veículo (CRV). De acordo com o estado, o valor varia entre R$ 160 e R$ 240. Se não fizer isso e for abordado em uma blitz terá que pagar R$ 195,23 e acumular 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH). 

No caso de um engate traseiro, não há uma sanção na legislação que o impeça de instalar o equipamento. A lei, neste caso, irá ser aplicada caso você utilize ele para puxar uma carretinha, por exemplo, e ela esteja fora dos padrões. O problema com um engate para reboque é que a justificativa de proteção contra colisões traseiras é errada, e acaba prejudicando o veículo. E, para piorar, a garantia pode ser comprometida. 

No canto inferior esquerdo, o aviso no manual do Tracker sobre o engate traseiro

Os manuais de veículos como as atuais gerações dos Chevrolet Onix, Onix Plus e Tracker alertam sobre esse item. Se você tem um Tracker, pode conferir essa ressalva na página 216 - lá é dito “este veículo não está apto a receber engate traseiro e, desta forma, tracionar reboques”. O mesmo acontece com o Toyota Corolla de 11ª geração (2013 a 2019), por exemplo. Isso acontece porque eles não têm capacidade de reboque.

Película
Outro ponto polêmico é sobre a aplicação de películas nos vidros, popularmente conhecido como insulfilm. O item é apreciado por quem quer diminuir a exposição solar no interior do carro, o que pode ser útil até para um melhor funcionamento do ar-condicionado durante o dia. Mas existem regras e a infração exige a retirada imediata da película inadequada e o pagamento de multa considerada grave (R$ 195,23), com o agravante do acúmulo de 5 pontos na CNH.

Uma resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) diz em um dos seus artigos: “a transmissão luminosa não poderá ser inferior a 75% para os vidros incolores dos para-brisas e 70% para os para-brisas coloridos e demais vidros indispensáveis à dirigibilidade do veículo”. 

E há uma ressalva: “ficam excluídos dos limites fixados no caput deste artigo os vidros que não interferem nas áreas envidraçadas indispensáveis à dirigibilidade do veículo. Para estes vidros, a transparência não poderá ser inferior a 28%”.

Se você quer utilizar algum veículo para fazer propaganda é bom também fica atento. Uma resolução de 2016 do Contran alerta: “é vedado o uso de painéis luminosos que reproduzam mensagens dinâmicas ou estáticas, excetuando-se as utilizadas em transporte coletivo de passageiro com finalidade de informar o serviço ao usuário da linha”. Se você for protestar por algum motivo e cobrir os vidros com cartazes e/ou pinturas também estará indo contra a lei.

Faróis e combustível
Para a iluminação, a lei prevê algumas situações distintas. Se o sistema de iluminação estiver com defeito ou com lâmpada queimada você estará cometendo uma infração média, que renderá 4 pontos na CNH e o pagamento de uma multa de R$ 130,16. Por isso as revisões são necessárias.

Mas é bom ter atenção quando for fazer um reparo. Mudar o sistema original e instalar mais lâmpadas e mais faróis também é uma infração. Nesse caso, é grave (5 pontos) e o valor cobrado é maior: R$ 195,23.

Em tempos de combustível caro, é bom lembrar que se o carro parar na rua por pane seca você estará sujeito a multa de R$ 130,16 e agregar 4 pontos na CNH. Está claro no artigo 180 do CTB: "ter seu veículo imobilizado na via por falta de combustível". 

O manual do Virtus alerta sobre os riscos de trafegar com pouco combustível

Esse é um assunto abordado em manuais como o do Volkswagen Virtus, que alerta: “nunca conduzir até esvaziar completamente o tanque de combustível. O abastecimento de combustível irregular pode causar falhas de ignição e acúmulo de combustível não queimado no sistema de escape”. E reforça: “isso pode danificar o catalisador!”. Essas recomendações estão na página 20 do manual de instruções do sedã da VW. Outros fabricantes alertam que andar sempre na reserva força o sistema e pode diminuir a vida útil de equipamentos como a bomba de combustível.

O que fazer
A compra de um veículo envolve muita emoção. Para muitos é o primeiro carro, para outros, o primeiro zero-quilômetro ou a realização de um sonho. Há quem veja como algo rotineiro, e isso também complica as coisas.

Se você for comprar um carro e precisa do reboque, por exemplo, veja se ele pode ser instalado. Se não gostou da cor, lembre-se que para trocar há uma burocracia. Leia o manual de instruções e deixe ele sempre no porta-luvas para ser consultado em qualquer eventualidade. O mesmo vale para o CTB, que é um livreto. Você pode não se recordar de tudo e tê-lo à mão para uma consulta é sempre bom.

Se comprou um carro novo, não tenha pressa de retirar. Aguarde a entrega técnica. As concessionárias contam com profissionais treinados pelo fabricante para te explicar minúcias no novo modelo, existem coisas que mudam e a gente nem percebe.

Se seu carro for usado, peça ao lojista para fazer uma demonstração. E, se comprou de um particular, peça que o antigo proprietário mostre como funciona cada equipamento do automóvel.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas