Dado lamenta falta de ritmo do Bahia: 'Jogo oficial é diferente'

e.c. bahia
27.02.2020, 17:20:51
Atualizado: 27.02.2020, 20:21:05
Dado quer manter time-base que enfrentou o Jacobina (Felipe Oliveira / EC Bahia)

Dado lamenta falta de ritmo do Bahia: 'Jogo oficial é diferente'

Time de aspirantes tricolor não joga desde o dia 9 de fevereiro; domingo tem Ba-Vi

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Faz 19 dias que o torcedor do Bahia não ouve falar do seu time de aspirantes. O grupo comandado por Dado Cavalcanti passou esse período apenas em treinamentos ou realizando jogos-treino.

Essa é a maior preocupação do treinador para o Ba-Vi de domingo (1º), no Barradão, às 16h, pelo Campeonato Baiano. Ele espera que a equipe mostre a mesma intensidade que teve nos cinco jogos anteriores pelo estadual.

"Minha maior preocupação é a perda de ritmo de jogo. Vínhamos numa batida muito boa, na qual nossa equipe mostrou-se muito consistente e equilibrada nesses cinco jogos que fizemos. Tivemos alguns jogos-treinos, coletivos, amistosos para minimizar essa perda de ritmo, mas sabemos que um jogo oficial, valendo três pontos, é completamente diferente", comenta.

Por outro lado, Dado aproveitou a pausa para evoluir o time tecnicamente: "Esse hiato serviu para observarmos novos jogadores, colocá-los em campo, testar outras formações. Creio que usamos bem o tempo, mesmo com uma perda significativa de ritmo. Criamos boas opções, fizemos bem esse momento. Descansamos apenas um dia de Carnaval, o domingo".

O time de aspirantes está invicto em 2020. Foram três vitórias e dois empates até o momento. Lidera o estadual com 11 pontos, à frente do Vitória no saldo de gols (5 a 3). Segundo Dado, a equipe titular no Ba-Vi deve ser a mesma que enfrentou o Jacobina no dia 9 de fevereiro e ganhou por 3x1. A única dúvida é o volante Ramon.

"A tendência é a manutenção da base. Se houver alguma troca, será por ordem médica. Estamos montando um time-base, não tem mistérios. Tenho repetido as escalações e quando acontece troca é de um atleta apenas", afirma o técnico.

O time, portanto, deve ser escalado com Fernando; Lepu, Ignácio, Anderson e Mayk; Edson, Ramon e Arthur Rezende; Alesson, Saldanha e Gustavo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas