Dana White: Jon Jones deveria ter parado de beber 'há 10 anos'

esportes
29.09.2021, 19:19:00
Dana White, presidente do UFC, disse que Las Vegas 'é um lugar difícil' para Jon Jones (Logan Riely/AFP)

Dana White: Jon Jones deveria ter parado de beber 'há 10 anos'

Presidente do UFC diz que lutador está 'atrasado' em reconhecer problema com álcool

Presidente do UFC, Dana White comentou a declaração de Jon Jones, que reconheceu problemas com álcool. O lutador foi preso na semana passada, acusado de agredir a noiva, Jessie Moses, e, nas redes sociais, prometeu parar de beber. Para o chefão da organização de MMA, o lutador está 'atrasado'.

"Há dez anos (tem problema com álcool). Você está atrasado", disse Dana White, de acordo com o site MMA Junkie, em coletiva após o Contender Series.

Jon Jones voltou a figurar nas páginas policiais no último dia 24 de setembro, quando foi preso acusado de violência doméstica e danificação de veículo. De acordo com o boletim de ocorrência, divulgado pelo TMZ, o lutador puxou a noiva, Jessie Moses, pelo cabelo.

A agressão ainda pode ter sido pior, devido a marcas de sangue na camisa dela e nos lábios, que estavam inchados. Já o dano ao veículo foi causado por uma cabeçada de Jones em uma viatura policial no ato de sua detenção.

Dana White disse que sempre prevê  problemas quando Jon Jones está em Las Vegas. Mas, dessa vez, achou que estaria tranquilo, já que o ex-campeão meio-pesado (até 93kg) estava na cidade acompanhado da esposa e dos três filhos. Na quinta-feira (23), véspera da prisão, Jon Jones recebeu uma homenagem do Hall da Fama do UFC, pela luta contra Alexander Gustafsson no UFC 165, em 2013.

"Isso é o que Jon faz quando vem para Vegas. Este é um lugar difícil para ele. Ele ficou aqui menos de 12 horas e, você sabe, ele estava na prisão. Cada vez que o trazemos aqui, tentamos mantê-lo pelo menor tempo possível, trazê-lo e tirá-lo. Desta vez, ele estava com sua família, então pensamos (que não precisava). Pensamos errado", afirmou.

Ainda segundo o B.O., a polícia foi chamada ao hotel Caesars Palace por volta de 5h08 de sexta-feira (24), no horário local, para atender a uma "perturbação doméstica" em um dos quartos, envolvendo uma "mulher branca com sangramento no nariz e na boca" e um "homem negro que é lutador profissional de MMA". 

Ao chegarem no local, os policiais viram Jones andando e algemaram o lutador. Foi aí que o astro do UFC ficou "irado e bateu sua cabeça no capô frontal da viatura", deixando uma deformação de tamanho médio e marcas na pintura.

Jon Jones, que nega ter agredido a noiva, ficou detido por menos de 24h. Ainda na noite de sexta-feira (24), ele foi liberado após o pagamento da fiança, de US$ 8 mil (cerca de R$ 43 mil). A audiência de avaliação sobre o caso acontecerá no dia 26 de outubro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas