De olho na caçamba: saiba quanto custa manter as picapes mais vendidas na Bahia

só se vê no correio
05.07.2020, 05:00:00
Para lazer ou trabalho, as picapes se destacam pela versatilidade. As cabines podem ser simples ou duplas, algumas contam com tração 4x4 e câmbio automático (Foto: FCA)

De olho na caçamba: saiba quanto custa manter as picapes mais vendidas na Bahia

Veja os preços, o valor do seguro e o consumo de cinco utilitários

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A força do agronegócio e dos serviços faz da Bahia um grande consumidor de picapes. Diferentemente do que acontece no mercado nacional, o quinto veículo mais emplacado no Estado no acumulado do ano é um utilitário, a Toro. O modelo da Fiat teve 1.243 unidades emplacadas neste ano, ficando atrás apenas do Chevrolet Onix (2.280), Ford Ka (1.493), Chevrolet Onix Plus (1.329) e Hyundai HB20 (1.281).

O ranking das cinco picapes mais emplacadas no mercado estadual segue com outro modelo da Fiat, a Strada, que ficou em segundo lugar. O veículo, produzido em Minas Gerais, teve 1.052 exemplares licenciados nos primeiros seis meses de 2020, seguido pela Toyota Hilux (608), Ford Ranger (552) e Chevrolet S10 (376).

Mas para ter uma Toro na garagem é preciso desembolsar pelo menos R$ 99.990, preço da versão Endurance com câmbio manual de cinco marchas e motor 1.8 litro flex. A opção mais completa custa R$ 171.990, valor pedido pela configuração Ultra, que tem motor 2 litros turbo diesel e transmissão automática de nove velocidades, além de diversos outros equipamentos de conforto e segurança.

A Strada, que acaba de ser lançada em nova geração, é considerada uma picape compacta, assim como a Volkswagen Saveiro e a Chevrolet Montana. Os preços do modelo da Fiat ficam entre R$ 63.590 e R$ 79.990, valores referentes à configuração Endurance, que tem cabine simples e motor 1.4 (88 cv), e à versão Volcano, que tem cabine dupla e motor 1.3 (109 cv). Todas as opções são oferecidas somente com transmissão manual.

A Toro é a picape mais vendida na Bahia. Ela é oferecida com motor flex ou diesel
A Toro é a picape mais vendida na Bahia. Ela é oferecida com motor flex ou diesel (Foto: Antônio Meira Jr./ CORREIO)
A Strada, que acabou de ser renovada, é vendida com cabine simples ou dupla
A Strada, que acabou de ser renovada, é vendida com cabine simples ou dupla (Foto: FCA)
A Hilux é encontrada em diversas configurações, desde a chassis-cabine até cabine dupla
A Hilux é encontrada em diversas configurações, desde a chassis-cabine até cabine dupla (Foto: Fabio Gonzalez/ Toyota)
A Ranger está disponível em duas motorizações, ambas a diesel
A Ranger está disponível em duas motorizações, ambas a diesel (Foto: Antônio Meira Jr./ CORREIO)
A S10, assim como a Hilux, é vendida com motor flex ou diesel
A S10, assim como a Hilux, é vendida com motor flex ou diesel (Foto: Antônio Meira Jr./ CORREIO)

Para levar uma Hilux é preciso gastar mais, o equivalente a duas Strada: R$ 130.190 é o preço inicial. Nesse caso, a picape é uma cabine dupla, com tração 4x2, câmbio manual e motorização 2.7 litros flex. Mas a Toyota oferece outras 12 opções para a picape média, que vão desde cabine simples sem a caçamba, que custa R$ 137.390, passando por uma configuração esportiva GR-S que pode utilizar um 4 litros V6 (234 cv) a gasolina (R$ 217.390) ou o 2.8 litros (177 cv) diesel (R$ 233.590).

Desde o lançamento da linha 2020, há um ano, a Ford optou por trabalhar apenas com motorizações a diesel. O propulsor 2.2 litros de quatro cilindros entrega 160 cv e o 3.2 litros de cinco cilindros oferece 200 cv de potência.

A opção mais barata no catálogo da Ranger cabine dupla é a XLS. Com motor 2.2, câmbio automático e tração 4x2, ela custa R$ 144.190. A configuração mais cara é a Limited, que utiliza o motor 3.2 associado a um câmbio automático e com tração 4x4. Saí por R$ 215.590.

Assim como a Toyota, a Chevrolet trabalha com propulsores diesel e bicombustíveis para sua picape, a S10. A opção mais barata é a Advantage com motor 2.5 flex. Com transmissão manual e tração 4x2, ela custa R$ 119.590. São mais de R$ 100 mil de diferença para a opção mais cara da linha, a High Country. Nesse caso, a picape tem traçao 4x4, câmbio automático e motor 2.8 diesel (200 cv). Custa R$ 213.290.

Manutenção programada

Depois de escolher a versão é preciso checar o custo de manutenção. O melhor parâmetro são as revisões programadas. Na configuração bicombustível as manutenções obrigatórias devem ser feitas no intervalo de um ano ou de 10 mil km e na motorização diesel deve ser feita a cada 20 mil km ou 12 meses. Para uma Toro flex, o custo médio para cada uma das seis primeiras é R$ 837,33. O valor médio para a seis primeiras da diesel é de R$ 1.368,67.

Para a Strada, com qualquer propulsor, a Fiat recomenda que as revisões obrigatórias sejam feitas com intervalos de 10 mil km ou 12 meses. Com motorização 1.4 Fire, o preço médio de cada uma das revisões da Strada é R$ 604. Com o propulsor 1.3 Firefly, o preço médio é R$ 572,67.

Antes de comprar verifique o preço das revisões no site do fabricante (Foto: VW)

Para a Hilux bicombustível com tração 4x2 o preço médio de cada uma das seis primeiras revisões, que devem ser feitas a cada ano ou 10 mil km, é R$ 936,18. Para as versões com motor diesel, que têm o mesmo intervalo programado para as manutenções, o preço médio é R$ 1.266,84. 

O preço médio de cada uma das seis primeiras revisões da Ranger 2.2 é R$ 954,16. Nas versões equipadas com o propulsor 3.2, o custo médio passa para R$ 1.022. A Ford recomenda que a manutenção seja feita a cada 10 mil quilômetros ou 12 meses, o que acontecer primeiro.

Na Chevrolet, a S10 4x2 flex tem um custo médio de R$ 858 para cada uma das seis primeiras manutenções. Para as versões equipadas com motor diesel, o preço médio das seis primeiras passa para R$ 1.004. Para os dois propulsores, vale a regra dos intervalos de um ano ou 10 mil km.

Custo da segurança

Para o preço do seguro, utilizamos como base um consumidor do sexo masculino, com 47 anos, casado, morador da Rua Aristides Novis, Federação, em Salvador, que vai utilizar o veículo para uso misto, sem bônus de um seguro anterior e com garagem em casa e no trabalho.

Com o apoio da Busca Vida Corretora de Seguros, simulamos o custo para a cobertura dos modelos citados nessa reportagem. Os valores de franquia são padrão - lembrando que há a opção de reduzida, o que aumenta o valor do seguro. Foram incluídos a cobertura de vidros, retrovisores, faróis e lanternas. A indenização para terceiros e pessoais são de R$ 100 mil cada. Não foi computado carro reserva e o valor da indenização em caso de roubo ou perda total contempla 100% da tabela Fipe.

O preço do seguro pode variar bastante, faça uma cotação prévia (Foto: Newspress)

Dentro dos parâmetros citados, o preço do seguro pela Bradesco da Toro mais barata é R$ 2.054,65 e a franquia custa R$ 6.432. Para a versão Ultra da picape, a melhor opção foi encontrada pela Tokio Marine: R$ 3.714,25 o seguro e R$ 5.475,75 da franquia.

Para a Strada, a melhor opção para a versão de entrada foi encontrada na Porto Seguro: R$ 2.657,44 pelo seguro e R$ 3,789 pela franquia. Para o topo de linha, a melhor opção foi pela Tokio Marine: R$ 2.219,17 (seguro) e R$ 3.349,50 (franquia).

Para a versão mais barata da Toyota Hilux a melhor cotação para o seguro é de R$ 3.641,51, com franquia de R$ 8.993,68. Para as versões GR-S, os preços do seguro são R$ 5.749,34 (diesel) e R$ 5.605,83 (gasolina). As franquias são R$ 15.856,52 e R$ 15.839,28, respectivamente. Desse veículo em diante as melhores cotações foram da Tokio Marine.

A Ranger de entrada tem a melhor cotação do seguro em R$ 3.394,72 e a franquia taxada em R$ 4.841,55. Para a Limited, o seguro passa para R$ 3.662,83 e a franquia pelo mesmo valor: R$ 6.300.

Por fim, a S10. Para a versão mais barata, o seguro custa R$ 2.571,83 e para a mais cara sai por R$ 3.916,39. Para ambas o valor da franquia é igual: R$ 5.250.

Algumas seguradoras não oferecem cotações sem a inclusão do número do chassis do veículo, por isso, não apareceram nessa pesquisa.

No posto

Saber quantos quilômetros você irá rodar mensalmente é importante para definir o seu custo mensal. Utilizando como base o programa de etiquetagem veicular do Inmetro, levantamos o consumo das cinco picapes mais vendidas esse ano na Bahia.

Enquanto a Toro com motor diesel faz 9,9 km/l na cidade e 12,3 km/l na estrada, a flex consome bem mais. Com etanol, faz 6,4 km/l no trânsito urbano e 7,8 km/l em estradas. Com gasolina, a aferição revela 9,5 km/l na cidade e 11,2 km/l na cidade.

A Strada 1.4, que utiliza um motor mais antigo, faz com etanol 8,3 km/l no ciclo urbano e 8,8 km/l na estrada. Com gasolina, a média melhora para 11,8 km/l na cidade e 12,4 km/l na estrada. O propulsor 1.3 é mais moderno e econômico. Com etanol, faz 8,4 km/l na cidade e 9,4 km/l na estrada. Com gasolina, são 12,1 km/l na cidade e 13,3 km/l em rodovias.

A Hilux SR faz com etanol 4,6 km/l na cidade e 5,6 km/l na estrada. Com gasolina, o consumo urbano passa para 6,6 km/l e na estrada chega aos 8 km/l. A configuração GR-S a diesel faz 9 km/l na cidade e 10,5 km/l em rodovias. Já a GR-S a gasolina faz 6 km/l na cidade e 7,6 km/l na estrada.

Faça uma estimativa de quanto roda por mês para ter ideia do gasto com combustível (Foto: Newspress)

Sempre com diesel, a Ranger XL 2.2 faz 10,3 km/l na cidade e 10,4 km/l na estrada. A Limited, equipada com o motor 3.2 litros, faz 8,6 km/l na cidade e 9,9 km/l na estrada.

A Chevrolet S10 Advantage é flex e faz, com etanol, 5,6 km/l na cidade e 6,4 km/l na estrada. Com gasolina, a média passa para 8,4 km/l na cidade e 9,5 km/l na estrada. A High Country, que usa o motor a diesel, faz 8,7 km/l na cidade e 10,6 km/l em rodovias.

É bom lembrar que essa é uma expectativa de consumo e diversas situações podem influenciar na economia de combustível. Desde a manutenção até a forma de condução do veículo.

Antes de comprar

Além dos custos, é importante observar alguns detalhes:

- Sua garagem tem espaço para uma picape?

- É necessário ter tração 4x4?

- Vai transportar peso e/ou volumes?

Faça uma planilha da sua real necessidade, pois se não houver algo específico, lembre-se que uma picape é um veículo feito prioritariamente para transportar objetos. Ou seja, esse é o seu compromisso primordial. O conforto vem em segundo lugar.

Outro ponto importante: se você tem empresa ou é um produtor rural, procure o setor de vendas diretas das concessionárias. É possível conseguir até 20% de desconto nessas modalidades.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas