De olho nas promoções, baianos deixam para comprar comida junina de última hora

salvador
23.06.2022, 15:24:00
(Arisson Marinho / CORREIO)

De olho nas promoções, baianos deixam para comprar comida junina de última hora

Amendoim e milho estavam entre itens mais procurados

Se muita gente nesta quinta-feira (23) adiantou o lado logo cedo para deixar Salvador, quem ficou também tinha planos. Muitos baianos correram para a Feira de São Joaquim, para tentar aproveitar as promoções das comidas típicas.

“O preço está em conta, um quilo de amendoim por R$ 15, dois por R$ 25. Deixei para última hora porque estava na dúvida se ia viajar ou não. Vim comprar outras coisas e acabei comprando o amendoim, aí decidi não viajar mais. Vou passar com a minha filha, meu pai e minha mãe, em casa, na Liberdade”, disse a assistente social, Luzineide Conceição, 47 anos. 

A dona de casa Lenira Jesus, 45, foi uma dessas pessoas que deixou para comprar tudo na véspera. “Como a gente vai ficar sem comer o milho? São dois anos sem poder fazer festa. O preço está bom, pechinchando com os amigos, a gente consegue um bom desconto para poder caber tudo na sacola. Vou levar laranja, milho, tudo que tenho direito”, declarou. 

O empresário Luís Carlos do Nascimento Filho, 49, também deixou tudo para a última hora. “Vai adiando, adiando, sempre deixo tudo para depois. O corre-corre do dia a dia, trabalho, filho, é meio complicado. Aí chega o dia, que a gente tem que correr. Os preços estão todos iguais e a gente está comprando em cima da hora, não tem muito o que fazer”, disse.

Mas a mulher dele, a comerciante Alana Maria Prado Silva Reis, 28, ponderou. “Não está ruim, não (o preço). São R$ 10 a 12 milhos. Se a gente for no mercado, quanto é que vai sair só um milho? A feira é mais barato, não tem jeito”. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas