Deixou saudade: público queria mais festa para receber 2020

salvador
02.01.2020, 06:30:00

Deixou saudade: público queria mais festa para receber 2020

Teve gente que foi para todos os dias do Festival Virada Salvador e ainda curtiria mais

O último show do Festival Virada Salvador 2020, de Saulo, provocou uma mistura de emoções na noite desta quarta-feira (1º): a felicidade do público pela apresentação, misturada com a tristeza de saber que, após cinco dias, acabou a festa.

A aposentada Edinalva Moura de Santana, 67, que foi a todos, não escondia a tristeza.

“Por mim, isso aqui não terminava agora. Se tivesse mais shows depois de Saulo, ficava para ver. Se tivesse amanhã [hoje], também estaria aqui. Meu negócio é festa, meu filho. Não importa o artista ou ritmo”, conta ela, que lamentou a ausência de seu ídolo Tatau na programação.

'Meu negócio é festa, meu filho!', garantiu Edinalva, 67 anos
(Foto: Gabriel Moura/CORREIO)

Apesar da chuva, perder a chance de ver o show de Saulo foi algo que nem passou pela cabeça da recepcionista Suelen Santos, 21, que chegou a brigar com ‘mainha’ para poder acompanhar seu ídolo.

“Ela começou a fazer o maior auê, dizendo que eu ia ficar doente. Eu larguei logo: ‘Mainha, não sou de açúcar, apesar de ser um doce. Então não vai ser a chuva que irá me afastar daquele lindo’”, disse ela, que fez questão de ficar coladinha na grade.

E ela ainda fez questão de justificar todo esse amor pelo artista. “Ele é um cara que representa a Bahia e a baianidade. Além disso, o discurso dele é autêntico. Muitos artistas levantam bandeiras e tentam fazer média com os negros, gays, lésbicas, mas, na verdade, só estão interessados no dinheiro que ganham com essas ações. Saulo não. Ele é de verdade”, define.

Também fã de Saulo, a estudante Karen Rodrigues, 18, foi um pouco mais reticente na hora de ir ao festival. Ao ver a chuva se aproximando, ela chegou a pegar o buzu para o IAPI, onde mora, e ficar sossegada ontem. Mas, quando o ônibus parou em seu ponto, parece que São Pedro mandou um sinal e a chuva parou, fazendo com que a jovem fosse à festa.

“Eu vim todos os dias do festival e não vai ser logo no do meu ídolo que vou deixar de marcar presença, né? Não podia deixar de vir. Mantive o pique porque a vontade de curtir é maior que qualquer chuva”, afirmou.

Nem a chuva impediu Karen de ir ver o show de Saulo
(Foto: Gabriel Moura/CORREIO)

*Com supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas