Delegado e agentes da Polícia Civil são presos em investigação de tráfico na Chapada

bahia
30.06.2021, 11:47:00
Atualizado: 30.06.2021, 12:07:58
(Foto: Divulgação/MP)

Delegado e agentes da Polícia Civil são presos em investigação de tráfico na Chapada

Empresário acusado de pagar para evitar que maconha fosse incinerada também foi preso

Um delegado, três policiais civis, um agente administrativo e um empresário foram presos na manhã desta quarta-feira (30) em Seabra e Salvador, em nova fase da Operação Casmurro, que investiga tráfico de drogas na região da Chapada Diamantina. No início do mês, um investigador da Polícia Civil já havia sido preso e o delegado estava afastado das funções. 

Segundo a investigação, há novos indícios de que policiais civis lotados na 13ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Coorpin) estavam envolvidos no crime de tráfico e também de lavagem. Além dos mandados de prisão preventiva, a Justiça autorizou busca e apreensão em um endereço residencial. Foram apreendidos celulares, rádio comunicador, dispositivos de armazenamento de dados, dinheiro em espécie e documentos.

Investigações da Polícia Civil descobriram, em junho de 2020, uma grande plantação de maconha no povoado de Baixio da Aguada, zona rural de Seabra, com previsão de colheita de três toneladas da droga. 

Parte da droga apreendida em junho, em Seabra. Parte foi preservada, aponta investigação (Foto: Divulgação)

A investigação revelou que os traficantes e os policiais, com o intermédio de um empresário da região, com grande influência na polícia local, estabeleceram propina de R$ 220 mil para que a droga não fosse completamente incinerada. Os policiais permitiram a colheita de parte da maconha e ainda ajudaram a transportá-la dentro das viaturas da polícia, para armazenamento em propriedade rural do empresário, até que fossem enviadas para a cidade de Salvador. 

A operação é realizada pelo Ministério Público do Estado da Bahia, por meio do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e das Promotorias Criminais e de Patrimônio Público de Seabra, em conjunto com a Força Tarefa de combate a Crimes praticados por Policiais Civis e Militares, da Corregedoria da Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA).

Deflagrada em abril deste ano, a operação teve na primeira fase dois outros policiais civis presos. Também foram detidos na ocasião um empresário e um quarto suspeito, flagrado com drogas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas