Demolição de casarão é concluída, mas Ladeira da Montanha segue interditada

salvador
23.08.2020, 19:14:00
Atualizado: 23.08.2020, 20:15:59
A demolição do imóvel foi concluída na tarde desse domingo e agora a empresa contratada fará a remoção do entulho (Codesal/Divulgação)

Demolição de casarão é concluída, mas Ladeira da Montanha segue interditada

Todos o entulho deverá ser retirado do local antes da liberação da via

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A demolição do casarão que desabou sobre a Ladeira da Montanha, na última terça-feira (18), foi concluída neste domingo (23). A perspectiva é que todo o material projetado para a Ladeira da Montanha e encosta seja retirado com segurança nos próximos dias. 

Não há previsão de liberação do tráfego na Ladeira da Montanha, mas a Codesal seguirá acompanhando as obras até o final (Foto: Codesal/Divulgação)

De acordo com o diretor da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Sosthenes Macêdo, não tem como precisar o prazo dessa limpeza porque a obra está sendo executada por uma empresa particular, contratada pelo proprietário do imóvel. “A Prefeitura está fazendo o acompanhamento e a fiscalização para que tudo ocorra com segurança”, disse Macêdo. A empresa RNP Engenharia/Neves e Miranda Empreendimentos é que está à frente do serviço de remoção do que restou do imóvel. 

Por medida de segurança, a Ladeira da Montanha continuará interditada. O desabamento parcial foi provocado por falta de manutenção predial. Não havia moradores e não houve vítimas. Atualmente, a Codesal tem 1.295 casarões vistoriados e cadastrados, sendo que destes 131 possuem risco muito alto de desabamento ou incêndio. Outros 237 têm risco alto. Deste total, 76% estão ocupados e 24% desocupados.

A Codesal possui um cadastro com mais de mil casarões vistoriados, sendo que 131 possuem risco muito alto de desabamento ou incêndio (Foto: Divulgação/ Codesal)

As ações voltadas para promover a conservação desses imóveis se dão por meio do Projeto Casarões, que objetiva levantar a realidade dessas construções e, de alguma forma, contribuir para sua preservação ou eliminação do risco que muitos deles representam, articulando as intervenções necessárias. 

Veja o momento em que os escombros do casarão desabam da encosta:

Em caso de risco iminente, e na impossibilidade do proprietário fazer a manutenção ou não ser identificado, a Codesal, quando legalmente autorizada pelo órgão tombador, articula com outros organismos municipais para realizar a demolição total ou parcial do imóvel, em nome da segurança de todos. A situação dos casarões cadastrados é atualizada anualmente.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas