Depois de três anos, O Topo da Montanha volta ao TCA em sessão dupla

entretenimento
02.08.2019, 13:20:00

Depois de três anos, O Topo da Montanha volta ao TCA em sessão dupla

Com Lázaro Ramos e Taís Araújo, peça descreve último dia de vida do líder negro Martin Luther King

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um espetáculo protagonizado por Lázaro Ramos e Taís Araújo, casal essencial para a representatividade negra na mídia brasileira, que descreve os diálogos entre o líder negro Martin Luther King e uma camareira, na noite anterior ao assassinato do ativista político norte-americano.

Essa é a descrição básica de O Topo da Montanha - cujo nome é uma alusão ao último grande discurso de Martin Luther King  (I’ve Been to theMountaintop) - que volta a Salvador neste fim de semana para uma apresentação dupla no TCA. 

Só que quem foi ao mesmo teatro, três anos atrás, conferir o espetáculo, sabe que ele não é só isso. O Topo da Montanha é um acontecimento. Foi ele o responsável por lotar o TCA com um público vívido, ávido e diverso. E, ainda bem, predominantemente negro. Na época, não deu para quem quis, e agora, Lázaro e Taís estão de volta. 

(Foto: Divulgação)

“Eu estava buscando fotos pra anunciar que #OTopoDaMontanha tá de volta a SALVADOR e encontrei essas duas, que representam momentos especiais do espetáculo e que têm a ver com a última vez que fomos lá. Vamos reviver essa emoção” convidou Lázaro no Instagram.



Dividido em dois momentos bem marcados, o espetáculo mistura situações leves a discussões profundas. “O humor como entrada facilita muito a segunda parte do espetáculo, que é um drama, falando de temas dolorosos e políticos. Dessa forma, o espetáculo atrai um público ainda maior e todos os espectadores se sentem motivados a enfrentar essa luta pelo respeito e pela igualdade, que é a luta justa”, acredita Lázaro.

Muito da leveza é proporcionada pela personagem de Taís Araújo, que foi indicada ao Prêmio Shell por sua atuação na peça. 
“Começa com uma comédia, quase uma comédia romântica, aí quando as pessoas estão bem acomodadas, ela vai e pega todo mundo pelo coração”, entrega Taís. Na pele da camareira, ela envolve  o reverendo  em um jogo de provocações que o faz se lembrar que ele é, acima de tudo,  humano.

Serviço: Sala Principal do TCA. Amanhã, 21h, e domingo, 18h. Ingressos: R$80 | 40 (filas A a P) e R$ 60 | R$ 30 (Filas Q a Z). Vendas na bilheteria do TCA, SACs dos shoppings Barra e Bela Vista e ingressorapido.com. Classificação: 14 anos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas