Diretora da F-1 já estava separada do assassino e namorava mulher

esportes
17.08.2021, 16:17:00
Atualizado: 17.08.2021, 16:17:08
Nathalie Maillet foi assassinada pelo marido em casa (Reprodução)

Diretora da F-1 já estava separada do assassino e namorava mulher

Nathalie Maillet, de 51 anos, foi morta em casa pelo ex-piloto Franz Dubois

A morte de Nathalie Maillet, diretora do circuito de Spa-Francorchamps, teve novos desdobramentos nesta terça-feira (17). A empresária foi assassinada no último domingo (15) pelo próprio marido, o ex-piloto Franz Dubois. Mas, de acordo com uma amiga da vítima, o crime não ocorreu porque o homem encontrou a esposa com outra.

Em entrevista à emissora belga RTBF, Sandrine Detandt se mostrou incomodada com o contexto dado à notícia. Ela disse que o casal já estava em processo de divórcio e, inclusive, Dubois já saberia sobre o novo relacionamento amoroso de Nathalie, com a advogada Ann Lawrence Durviau. As duas foram mortas a tiros pelo ex-piloto, que depois tirou a própria vida.

"Para mim, é importante esclarecer as coisas. Eles estavam separados. Nathalie Maillet havia dito a ele [Dubois] que havia se apaixonado por Ann Lawrence. Os dois estavam em processo de divórcio. Ele fingiu que não se incomodava e até chegou a conhecer Ann", disse Sandrine, durante a entrevista.

"Estamos longe de ver a história de um homem traído que volta para casa inesperadamente encontrando sua esposa nos braços de outra! É uma forma de romantizar esse caso. Estamos diante de um homem que matou duas mulheres porque elas se queriam. Ele simplesmente não tinha permissão para isso", continuou.

Professora de psicologia e sexualidades na Université Libre de Bruxelles, Sandrine era amiga de Nathalie e Ann-Lauwrence. "Como este homem se torna o herói traído que precisa limpar sua honra? Isso nos traz de volta aos séculos anteriores, quando era considerado normal para um homem possuir sua esposa", completou.

Entenda o caso
Nathalie Maillet, diretora do circuito que sedia o GP da Bélgica da Fórmula 1, foi assassinada na madrugada do último domingo (15) pelo próprio marido, o ex-piloto Franz Dubois. Ann Lawrence Durviaux, advogada e professora da Universidade de Liège, também foi morta.

Segundo o jornal belga DH, o crime ocorreu na casa de Nathalie, localizada no município de Gouvy, dentro da província de Luxemburgo, na Bélgica. O caso é apontado como duplo feminicídio. Segundo a imprensa do país, Dubois teria pego uma arma e atirado nas duas mulheres. Ele ligou para a polícia para comunicar o crime e, em seguida, cometeu suicídio.

"O senhor ligou para a polícia pouco antes da meia-noite. Ele ligou para relatar que acabara de matar as duas mulheres e que ia acabar com sua vida. Quando a polícia chegou ao local, três corpos sem vida foram encontrados", disse Sarah Pollet, porta-voz do Ministério Público de Luxemburgo.

Nathalie estava à frente do cargo de diretora-executiva do circuito belga desde junho de 2016. Ela era esperada em Spa-Francorchamps para o Rally de Ypres, oitava etapa da temporada 2021 do Mundial da categoria, que aconteceu no último fim de semana. Quando não apareceu, as autoridades começaram uma busca para encontrá-la.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas