Disney+ chega ao Brasil com catálogo recheado, mas não escapa de polêmicas

variedades
19.11.2020, 13:55:00
Atualizado: 19.11.2020, 13:55:06
(Divulgação)

Disney+ chega ao Brasil com catálogo recheado, mas não escapa de polêmicas

Plataforma irritou fãs deixando alguns nomes de fora

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Depois de um ano de muita espera, o Disney+ finalmente chegou ao Brasil! O mais novo serviço de streaming entrou no ar no país na terça-feira (17) e foi um dos assuntos mais comentados da semana, aquecendo o coração dos fanáticos por animações e trazendo, claro, uma série de memes pelas redes sociais.

O grande destaque do serviço são os filmes e séries clássicos do estúdio e franquias como o Universo Marvel e a saga Star Wars completa, que estarão disponíveis apenas no Disney+. Além disso, produções inéditas já foram anunciadas para o futuro, tornando seu catálogo recheado de grandes nomes da indústria cinematográfica. 

O Disney+ também disponibilizou pela primeira vez no Brasil alguns dos últimos lançamentos do estúdio, que foram feitos exclusivamente para o streaming ou tiveram estreias no cinema dificultadas pela pandemia. A série The Mandalorian, que é do universo Star Wars, o álbum visual Black is King, da cantora Beyoncé, e uma nova adaptação de A Dama e o Vagabundo são algumas das produções que chegam ao território brasileiro com o serviço.

E não é apenas o catálogo que traz novidades. O Disney+ é a única das grandes plataformas de streaming a disponibilizar a função Groupwatch, que permite que até 7 pessoas assistam o mesmo vídeo em locais diferentes, com suas telas sincronizadas. Além disso, possui pequenos charmes como perfis com personagens dos filmes do estúdio e legendas personalizadas.

Mas vamos ao que interessa: quanto custa? Você pode adquirir o serviço por uma mensalidade de R$ 27,90, ou por uma assinatura anual de R$ 279,90, mas ele oferece 7 dias de teste grátis. Porém, vale lembrar que a plataforma permite que até quatro pessoas assistam simultaneamente, então é possível chamar os amigos e dividir esse valor.

Além disso, existem outras opções para quem deseja adquirir o Disney+. O Globoplay disponibilizou um pacote conjunto dos dois serviços, oferecendo ambos os catálogos por 12x de R$ 37,90, e clientes de marcas como Bradesco e Mercado Livre podem conseguir até 6 meses grátis da plataforma.

Polêmicas

Apesar da chegada forte, a estreia do streaming não escapou de críticas. A plataforma se envolveu numa polêmica com o musical Hamilton, um de seus maiores lançamentos no exterior. O filme chegou ao Brasil sem opções de legendas ou dublagem em português por conta de uma “decisão criativa”. A situação provocou a ira dos usuários nas redes sociais, que cobraram uma solução, e o criador da peça já afirmou que está trabalhando para adicionar essas opções no Disney+ brasileiro.

Muitos usuários também ficaram decepcionados com a ausência de produções famosas da Disney no catálogo do serviço. A animação Os Simpsons, por exemplo, tem apenas duas de suas 32 temporadas disponíveis, e a série As Visões da Raven, popular na TV aberta do Brasil, não está presente no Disney+, frustrando os fãs.

Além disso, há o argumento da falta de produções mais novas no catálogo. Os fãs podem até se conformar com seus clássicos disponíveis, mas a maioria dos filmes presentes no Disney+ já são velhos conhecidos do público. Na comparação com o Netflix, que produz diversos títulos novos todos os dias, o serviço do Mickey deixou a desejar. 

Com suas vantagens e seus problemas, o Disney+ chega com o poder de acirrar ainda mais a disputa dos serviços de streaming. Netflix, Amazon Prime, TelecinePlay e diversos outros terão que lidar com um forte concorrente no país para conquistar o dinheiro dos assinantes. Mas, por enquanto, eles parecem estar se dando bem com a chegada do novo competidor...

*Sob orientação da subeditora Carol Neves

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas