'É inexplicável, dói', diz Chagas após derrota do Vitória em casa

e.c. vitória
05.12.2020, 04:59:00
"A tristeza desse resultado é grande. Não esperava", lamentou Chagas (Foto: Tiago Caldas/CORREIO)

'É inexplicável, dói', diz Chagas após derrota do Vitória em casa

Leão sofreu apagão e perdeu para o Confiança de virada por 3x2 no Barradão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Vitória não tem mais 100% de aproveitamento sob o comando do interino Rodrigo Chagas. Após dois triunfos seguidos, a sequência de bons resultados do Vitória foi encerrada de forma frustrante: derrota de virada para o Confiança, por 3x2, no Barradão, na sexta-feira (4).

O revés acabou com a invencibilidade do rubro-negro, que durava cinco jogos, e fez com que o time perdesse a chance de se aproximar do pelotão da frente da Série B. O Vitória segue com 32 pontos, ainda em 14º lugar. Iniciou a 26ª rodada com oito pontos de distância para o Z4 e pode ver a diferença cair para cinco se o Náutico bater o Figueirense no Orlando Scarpelli, em Florianópolis, domingo (6).

Após o fim da partida, o técnico interino Rodrigo Chagas lamentou o apagão que gerou os dois últimos gols dos sergipanos.

“Não tem como explicar. É inexplicável, dói. Estou muito chateado com esse resultado. Vejo que a gente poderia ter tido uma sorte maior. Mas, infelizmente, no futebol, a gente não tem tempo para lamentar. Pecamos, vacilamos. Agora temos que corrigir para a próxima partida”, comentou.

Para o treinador, o revés não foi soberba do Vitória, que vinha de dois triunfos seguidos, mas sim surgiu de desconcentração.

“A tristeza desse resultado é grande. Não esperava. A gente alternou muitos altos e baixos durante a partida. Começamos bem e, depois que fizemos o gol, encolhemos bastante, dando espaço ao adversário. Perdemos o jogo com duas bolas paradas. No futebol, a gente não pode relaxar. Não acredito que tenha sido empolgação dos atletas. Acredito que tivemos uma noite infeliz. Todos se doaram ao máximo. Infelizmente, o resultado, como todos nós prevímos e queríamos, não veio”, analisou.

Apesar de lamentar o apagão do Vitória, Chagas evita apontar culpado. Para o interino, os gols do Dragão foram uma mistura de mérito do visitante e de erro coletivo do Leão.

"Posso até dizer que foi virtude do adversário. Era uma jogada até que sabíamos que eles trabalhavam muito, induzir para um lado e buscar o lado contrário. Acho que, se foi um erro, foi um erro coletivo. Não temos motivos para individualizar. Acho que poderíamos, sim, ter concentrado um pouco mais nesses momentos, para que não pudesse ter sofrido esse gol. Futebol é atenção o tempo todo. Se não tivermos atenção, não estivermos ligados, vai acontecer isso sempre".

Na terça-feira (8), às 21h30, o Vitória encara o Cuiabá, na Arena Pantanal. Segundo Rodrigo Chagas, por falta de tempo, a preparação será focada no bate-papo.

“Conversando com eles e tentando ajustar. Até porque não vou ter tempo de treinar. Amanhã [sábado] é o regenerativo, domingo viaja. Segunda-feira é um trabalho leve. Vai ser na base da conversa mesmo. Temos que estar o tempo todo atentos, em todos os momentos da partida. Infelizmente, em um jogo que estava nas nossas mãos, tomamos dois gols. Isso fez com que a gente não tivesse um resultado positivo. Sabemos que ninguém queria [a derrota]”, disse Chagas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas