Edi Rock, dos Racionais MC's, é acusado de estuprar influenciadora

em alta
22.06.2022, 12:32:00
(Reprodução)

Edi Rock, dos Racionais MC's, é acusado de estuprar influenciadora

Ele, que nega a acusação, foi acionado pela Justiça

Edi Rock, integrante do grupo musical Racionais MC's, está sendo acusado de estuprar uma mulher. A denúncia - feita pela suposta vítima na madrugada da terça, 21, no Instagram - está ganhando as redes sociais. O artista se pronunciou sobre o caso.

Juliana Thaisa é influenciadora digital - com mais de 16,1 mil seguidores no Instagram - e dá conselhos sobre sexualidade na internet. A criadora de conteúdo recorreu ao seu perfil e, por meio de uma sequência de textos publicados nos Stories, acusa Edi Rock de estuprá-la.

"Tô cansada de pedir ajuda pra mídia, cansada de ver todos os processos de violência que eu tenho arquivados. Não teve um, um sequer, que o agressor foi responsabilizado. Eu fui invalidada em todos os processos", desabafou a influenciadora no Instagram.

Em outro trecho, Juliana Thaisa relata como aconteceu o suposto estupro. "Eu só tenho duas mãos, uma eu usei pra tentar segurar aquele nojento, e a outra pra segurar minha calça que ele tentava abaixar. Queria o quê? que eu tivesse filmado? Eu não pude nem gritar pra não acordar minha filha e traumatizá-la. Inferno!", desabafou.

Além dos Stories, a influencer fez uma publicação no feed do Instagram com as mesmas acusações de estupro. "Homem é homem, mulher é mulher, ESTUPRADOR É DIFERENTE NÉ, EDI ROCK?! #temjacknorap DENÚNCIA NOS STORIES", escreveu.

Edi Rock se pronuncia
Também pelas redes sociais, o integrante dos Racionais MC's se pronunciou sobre o assunto. Na noite da terça-feira, 21, Edi Rock - nome artístico de Edivaldo Pereira Alves - defendeu-se das acusações.

O cantor de 51 anos negou as acusações, disse também que a Justiça já julgou e encerrou o caso, considerando falsa a acusação de estupro. "Salve família! Sobre as acusações contra mim nas redes, já foi comprovado pela justiça que é MENTIRA!", inicia o post.

"Os fatos expostos tornaram a narrativa apresentada ilegítima e caluniosa. Meus advogados cientes, tomaram as medidas cabíveis. Atenciosamente: Edivaldo Pereira Alves", finalizou o comunicado de Edi Rock.

Sobre o julgamento da Justiça, a influenciadora Juliana Thaisa rebateu. "'Ah, mas o promotor arquivou o processo. A própria justiça inocentou ele'. Não me diga, alecrim dourado. Nada de novo sob o sol do Brasil. Processo arquivado não inocenta abusador. Só existe pra invalidar e silenciar as vítimas. Porque o sistema é patriarcal, machista e misógino".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas