Edital para concessão da Fiol é aprovado e vai ser publicado no Diário Oficial da União

bahia
15.12.2020, 18:32:00
Atualizado: 15.12.2020, 18:33:37
Obras da ferrovia na região de Brumado (Foto: Eloi Correa/GOVBa/Arquivo)

Edital para concessão da Fiol é aprovado e vai ser publicado no Diário Oficial da União

O leilão está previsto para ocorrer no dia 8 de abril de 2021, em São Paulo

A publicação do edital da subconcessão da EF-334, a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol), no trecho ferroviário entre os municípios de Ilhéus/BA e Caetité/BA, foi aprovada na última Reunião de Diretoria da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) de 2020, que aconteceu nesta terça-feira (15). O edital vai sair na edição desta quarta-feira (16) do Diário Oficial da União (DOU). Conforme o cronograma estabelecido no edital, o leilão está previsto para ocorrer no dia 8 de abril de 2021, na B3, em São Paulo (SP).

Esta subconcessão corresponde ao trecho inicial da Fiol, cuja função está ligada diretamente ao escoamento da produção de minério de ferro produzido no interior baiano por meio do porto de Ilhéus. Futuramente, a ferrovia será ainda estendida para a região produtora de grãos do oeste baiano, havendo inclusive a possibilidade de integração com a Ferrovia Norte-Sul, indo ao encontro do objetivo de integração das malhas ferroviárias e melhora das condições logísticas do país.

Concessão
A Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) encontra-se concedida à VALEC – Engenharia, Construções e Ferrovias S.A. O empreendimento é subdivido em três trechos:

  • Fiol 1: Trecho Ilhéus/BA – Caetité/BA: trecho em construção pela VALEC;
  • Fiol 2: Trecho Caetité/BA – Barreiras /BA: trecho em construção pela VALEC; e
  • Fiol 3: Trecho Barreiras/BA – Figueirópolis/TO: trecho greenfield (a ser construído).

O traçado da Fiol 1 possui aproximadamente 537 km de extensão, atravessando os seguintes municípios do estado da Bahia: Ilhéus, Uruçuca, Aureliano Leal, Ubaitaba, Gongogi, Itagibá, Itagi, Jequié, Manoel Vitorino, Mirante, Tanhaçu, Aracatu, Brumado, Livramento de Nossa Senhora, Lagoa Real, Rio do Antônio, Ibiassucê e Caetité.

O corredor logístico vai permitir, neste primeiro momento, o escoamento para o mercado externo do minério de ferro do sudoeste baiano por meio do futuro Porto Sul, em Ilhéus. O plano de extensão ainda prevê uma segunda concessão entre CaetitéBA e BarreirasBA, visando a produção de grãos do oeste baiano.

O prazo total da subconcessão deverá ser de 35 anos, considerando os períodos de construção e operação, contados a partir da assunção do contrato.

Estão previstos investimentos da ordem de R$ 5 bilhões ao longo do prazo da concessão, sendo sua maior parte aplicada nos primeiros 5 anos do contrato em obras remanescentes e complementares. Entre essas estão obras de infraestrutura e superestrutura da linha férrea, pátios de cruzamento e de interligação e obras-de-arte especiais.

Licitação
De acordo com o edital, a licitação será na modalidade de concorrência com participação internacional, cujo critério de julgamento será o maior valor de outorga fixa.

O valor decorrente da proposta deverá ser pago como condição para a assinatura do contrato, sendo R$ 32,7 milhões o lance mínimo requerido. Além dessa outorga fixa inicial, a subconcessionária ainda deverá realizar pagamento trimestrais de outorga variável ao longo do prazo do contrato, correspondente a 3,43% da receita operacional bruta da ferrovia, sendo que o vencimento da primeira parcela ocorrerá até o 5º dia do mês subsequente à data de eficácia. Assim, os ganhos da operação ferroviária serão compartilhados com o poder concedente.

Serviços
O principal objeto do contrato é a prestação do serviço público de transporte ferroviário de cargas associado à exploração da infraestrutura da malha ferroviária. As especificações mínimas para a prestação do serviço incluem os seguintes Indicadores:

  • Índice de Acidentes Ferroviários Graves (IAFG): 2,65 até o 5º ano de vigência do contrato; 2,15 a partir do 6º ano.
  • Velocidade Média Percurso (VMP): 32 km/h até o 5º ano de vigência do contrato; 36 km/h a partir do 6º ano.
  •  Idade Máxima de Frota de Locomotivas (IMFL): inferior a 40 anos durante todo o prazo de concessão.

A subconcessionária deve realizar as intervenções necessárias à expansão da capacidade da Ferrovia, de forma a manter o Indicador de Saturação da Ferrovia (ISF) sempre abaixo de 90%.

A demanda projetada para a ferrovia indica que 18,4 milhões de toneladas já serão transportadas no início da operação, prevista para ocorrer no prazo de 5 anos, chegando a 41,2 milhões de toneladas em 2035. Na composição das cargas predomina o minério de ferro produzido na região de Caetité, sendo complementado em menor escala pela produção agrícola e por carga geral.

A metodologia empregada na avaliação econômica do projeto foi a de Fluxo de Caixa Descontado (FCD) a preços constantes, que basicamente determina o valor presente do Fluxo de Caixa de projeto desalavancado, descontado ao Custo Médio Ponderado de Capital (Weighted Average Cost of Capital – WACC).

A taxa de desconto adotada, obtida a partir da metodologia WACC, é 11,04%, correspondente à Taxa Interna de Retorno (TIR) do projeto.

Especial
Nos últimos doze meses, o CORREIO fez dois cadernos especiais mostrando a importância da Fiol para a mineração e a agricultura baiana e a necessidade de conclusão do primeiro trecho para o desenvolvimento da economia das cidades do interior. Além disso, o andamento do processo e a expectativa das empresas dos setores mineral e agrícola ocuparam amplo espaço no jornal. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas