Eduardo Bolsonaro e chanceler vão aos EUA para encontro com Donald Trump

brasil
29.08.2019, 19:08:00
Atualizado: 29.08.2019, 19:09:42
Eduardo é cotado para assumir embaixada brasileira nos EUA (Foto: Agência Brasil)

Eduardo Bolsonaro e chanceler vão aos EUA para encontro com Donald Trump

Filho do presidente vai 'agradecer' o americano pela atuação no G7

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) viajará hoje aos Estados Unidos com o chanceler Ernesto Araújo para uma reunião com o presidente americano, Donald Trump, nesta sexta-feira, 30. O anúncio foi feito pelo presidente Jair Bolsonaro durante evento no Palácio do Planalto para lançar o programa "Em frente Brasil".

Durante a cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro fez um agradecimento ao presidente dos EUA por ter feito a "defesa" do Brasil durante a reunião mais recente dos países que formam o G-7, no último final de semana. Ele disse que o governo vai se aproximar cada vez mais de países "que servem de exemplo".

"Espero que Ernesto e Eduardo sejam bem-sucedidos na viagem. Que nós devemos e vamos, como mudou a direção, nos aproximar de países que servem de exemplo para nós", discursou Bolsonaro.

Após o evento, Eduardo afirmou que falará com Trump sobre o último encontro dos países que formam o G-7 e questões envolvendo a região amazônica. "Trump dá muita abertura, então certamente a gente vai entrar nessas questões", disse Eduardo. "Estarei ao lado do ministro Ernesto fazendo agradecimento como deputado porque o peso do norte-americano dentro do G-7 é essencial."

Para Eduardo, o fim da reunião do G-7 deixou claro que o presidente francês, Emmanuel Macron, tentou usar a Amazônia para fins políticos. "Macron acabou não tendo êxito", avaliou.

Questionado se ele também trataria da sua indicação para a Embaixada do Brasil em Washington com Trump, que ainda precisa passar pelo Senado Federal, Eduardo disse que essa é uma questão para conversar com os senadores. "Tenho que falar com senadores. Já tenho apoio dos EUA através do agrément, agora quem vai decidir são os senadores", respondeu.

Sobre a possibilidade da viagem reforçar a boa relação que tem com Trump justamente para convencer os senadores, Eduardo avaliou que "a boa relação já é notória". "Os senadores sabem dessa boa relação. Trump fez publicamente o meu agrément."

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas