Em busca de mais uma final, Bahia pega o Jacuipense pelo Baiano

e.c. bahia
02.08.2020, 05:00:00
Marco Antônio e Zeca serão titulares do Bahia contra o Jacuipense (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Em busca de mais uma final, Bahia pega o Jacuipense pelo Baiano

Tricolor tem vantagem para chegar à decisão do estadual

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um dia depois de largar com derrota para o Ceará na final da Copa do Nordeste, o Bahia já estará em campo novamente e mirando outra decisão. Neste domingo (2), o tricolor tem a chance de confirmar a vaga na final da Campeonato Baiano ao encarar o Jacuipense, às 16h, no estádio de Pituaçu, no jogo de volta da semifinal do estadual. O primeiro passo foi dado em Riachão do Jacuípe.

O triunfo por 2x0 sobre o Leão do Sisal no jogo de ida deixou o Esquadrão tranquilo para seguir buscando o tricampeonato, o que não acontece há 32 anos, quando o clube venceu as edições de 1986, 87 e 88.

Como vem fazendo desde que o futebol foi retomado, o técnico Roger Machado vai colocar em campo um time misto entre os reservas e os remanescentes da equipe sub-23, que iniciou a disputa do estadual, mas foi encerrada durante a pandemia do novo coronavírus como consequência dos prejuízos financeiros causados.

Assim, se engana quem acha que o Bahia vai entrar em campo relaxado pela vantagem de poder perder por até um gol de diferença. Além da vaga final, o duelo contra a Jacupa é a chance para alguns jogadores chamarem a atenção e continuarem no radar de Roger Machado na sequência da temporada, que terá Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana para o clube.

Um dos jogadores que estão aproveitando bem essa retomada é o meia Marco Antônio. Recuperado de lesão, ele balançou as redes três vezes nos últimos dois jogos do estadual e agora vive a expectativa de voltar a ser protagonista diante do Jacuipense.

"Eu tirei o tempo da pandemia para me cuidar, sabia que quando voltasse estaria integrado ao grupo e tinha que voltar bem. Esses dois meses que tivemos de quarentena me ajudou bastante e, graças a Deus, eu estou tendo a oportunidade de jogar o Campeonato Baiano, marcar gols e ajudar a equipe. Tudo é gratificante”, disse ele.

Do outro lado, a missão do Jacuipense é ingrata. Experimentando a sensação de ser semifinalista do estadual pela primeira vez na história, o time do interior vai ter que fazer algo inédito neste Baianão: vencer o Bahia por mais de dois gols de diferença.

Até aqui, o tricolor perdeu apenas uma partida em todo o campeonato, revés para o Atlético de Alagoinhas, por 1x0, na retomada da competição. Por causa do resultado do primeiro jogo, esse placar não interessa ao Jacuipense. O mínimo que o time precisa é vencer por dois gols de diferença para forçar a decisão por pênaltis.

Quem avançar, encara na decisão o vencedor de Atlético de Alagoinhas e Juazeirense. O Carcará tem um pé na final após vencer o jogo de ida por 4x1 no estádio Adauto Moraes, em Juazeiro. A volta é também neste domingo (2), às 16h, no Carneirão, em Alagoinhas.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas