Em crise, Hospital das Clínicas faz 70 anos com previsão de inaugurações

salvador
20.11.2018, 21:41:00
Atualizado: 20.11.2018, 21:44:21

Em crise, Hospital das Clínicas faz 70 anos com previsão de inaugurações

Programação começa nesta quarta e inclui congresso; veja lista de entregas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Evandro Veiga/Arquivo CORREIO

Após ficar seis dias sem ar-condicionado – e ter de cancelar cerca de 60 cirurgias, no início deste mês –, o Complexo Hospitalar Universitário Professor Edgard Santos (Hupes), mais conhecido como Hospital das Clínicas, localizado no bairro do Canela, divulgou que terá três dias de programação em comemoração aos seus 70 anos, incluindo uma série de inaugurações.

Com cerca de 2.585 profissionais, entre os de saúde e demais setores, e pelo menos 2.148.547 pacientes cadastrados, a unidade, que é administrada pela Universidade Federal da Bahia (Ufba), prepara uma cerimônia comemorativa, nesta quarta-feira (21), a partir das 19h, na Reitoria, também no Canela.

Já na quinta (22) e sexta (23), acontece o II Congresso Hupes, que tem como tema "A importância da assistência multiprofissional na saúde", além de outros assuntos. Clique aqui para saber como participar. São 1.500 vagas disponíveis.

Inaugurações e crise
Em nota, a assessoria da Hupes afirmou que novas unidades serão abertas, além de ampliações, obras e reformas importantes para os usuários do SUS.

Entre as entregas, estão previstas a abertura da nova Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrica; as reformas e ampliação dos serviços de Ecografia, Dopler Vascular e Transesofágico, da Unidade de internação 1C, da Unidade de Processamento de Material Esterelizado e da Unidade de Laboratório de Análises Clínicas. (Ver lista completa mais abaixo).

No início do mês, o CORREIO mostrou diversas estruturas danificadas da unidade a partir de relatos e fotos enviados por profissionais do local.

O hospital, que realiza, em média, 400 cirurgias por mês, atende pelo menos 37 especialidades médicas que geram, cada uma, diversos tipos de procedimentos cirúrgicos, como cardiovascular, digestiva, otorrinolaringologia, neurocirurgia, torácica, ortopédica, pediátrica, plástica, entre outras.

Os problemas no ar-condicionado, além de elevadores e equipamentos quebrados, foram denunciados por profissionais da Hupes, no dia 6 de novembro, quando já havia quase uma semana da constatação dos defeitos. 

Na ocasião, ao serem questionados sobre o condicionador de ar danificado, uma das fontes informou: “Esse é só um dos problemas. São muitos. A população tem sofrido”.

“Muita gente que já tinha remarcado pela sexta, sétima vez, teve que voltar para casa. Algumas, de cidades do interior distantes. Eles (os pacientes) estão sofrendo muito”, informou uma funcionária, sem se identificar.

Também de acordo com informantes na Hupes, além de prejudicados pelos problemas do ar-condicionado, com o não-funcionamento dos elevadores, os pacientes de outras alas do hospital, como no caso da UTI, estão impossibilitados de realizar exames regulares, já que não podem usar as escadas que ligam os seis andares do hospital.

Está caótico, de verdade. Os meninos que distribuem a alimentação, por exemplo, estão tendo que fazer o trabalho de escada. Ou carregam o carrinho pelas alas, ou usam as bandejas, o que acaba sendo um transtorno. Isso sem falar no aparelho de hemodinâmica, que quebrou há alguns dias”, relatou outra profissional de saúde, em referência a um aparelho que faz parte da ala cardíaca.

Já no dia 8, por meio da assessoria, o Hupes afirmou que já havia retomado, com a realização de 15 cirurgias, os procedimentos. Eles garantiram que o ar-condicionado havia sido consertado sem comentar, no entanto, sobre os demais problemas.

Confira a lista de entregas previstas para a semana do aniversário, conforme a assessoria da unidade.

  • Unidade de Tratamento Intensivo Pediátrica – Abertura de novo serviço

Esta unidade era uma obra parada há aproximadamente 10 anos, que foi totalmente reformada para atender uma população de 0 a 17 anos, com perfil crítico que demanda internação em Unidade de Tratamento Intensivo, possivelmente necessitando de ventilação mecânica e outras terapias de suporte orgânico. É de extrema importância porque atinge uma parcela da população muito doente, carente de leitos.

Estrutura: Com uma área de 338,59 M2, com estrutura de 8 leitos, sendo 1 com isolamento

  • Serviços de Ecografia, Dopler Vascular e Transesofágico – Reforma e ampliação

Com a reforma da área e aquisição de novos equipamentos, estes serviços tiveram um aumento da sua capacidade de atendimentos em 50%, destinados a pacientes das áreas de cardiologia e vascular.

Estrutura: Área de 33,97 M2

  • Unidade de internação 1C – Reforma 

Esta enfermaria será destinada a pacientes Oncohematológicos, com capacidade para atender 14 leitos. Esta conquista é fruto de uma parceria histórica entre o Hupes e a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia e busca atender uma demanda antiga da população. É de extrema importância para o estado porque irá contribuir para ampliação da assistência especializada a pacientes com leucemia aguda e com outras condições hematológicas graves e fatais.  Essa ampliação possibilitará um total de 25 leitos de Oncohematologia e 5 leitos de transplante de medula óssea. 

Estrutura: Com uma área de 537,66 M2 

  • Unidade de Processamento de Material Esterelizado – Reforma e ampliação 

Esta unidade é destinada ao processamento de produtos para a saúde, que envolve a limpeza, o preparo do produto, a desinfecção ou esterilização e o armazenamento e distribuição dos mesmos. É uma área de extrema importância para garantir a segurança do paciente. A nova área já é considerada a maior estrutura física no serviço público da Bahia. 

Estrutura: Com uma área de 376,43 M2

  • Unidade de Laboratório de Análises Clínicas – Reforma e ampliação

Serão inauguradas a recepção e o espaço de coleta para atender os usuários com mais conforto e comodidade.
 
Estrutura: Com uma área de 83,00 M2

  • Passarela de interligação do CPPHO ao AMN – Obra nova

Esta passarela finaliza o projeto de interligação dos três prédios, cujo objetivo é otimizar o deslocamento e acesso das pessoas à instituição, facilitar o fluxo de serviços, e principalmente transporte de paciente, além de garantir maior conforto e segurança de todos.

Estrutura: Trata-se de uma passarela em estrutura metálica, com 17 metros de comprimento e 87,98 m2 de área construída.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas