Em palco de alegrias e tristeza, Bahia encara o Fortaleza pelo Nordestão

e.c. bahia
19.02.2022, 05:00:00
Daniel já viveu a emoção de ser campeão no Castelão, mas também o sabor amargo da queda (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Em palco de alegrias e tristeza, Bahia encara o Fortaleza pelo Nordestão

Tricolor faz clássico regional no Castelão, neste sábado (19)

A rivalidade entre Bahia e Fortaleza ficou acirrada nos últimos anos. Neste sábado, o clássico regional vai ganhar mais uma nova história a partir das 17h45, no estádio Castelão, pela 6ª rodada da Copa do Nordeste.

Por sinal, o Castelão tem sido o palco dos principais encontros entre as equipes, seja para o bem ou para o mal quando a análise é feita pela ótica do tricolor baiano. Em dezembro, por exemplo, foi na capital cearense que o Esquadrão perdeu por 2x1 para o Fortaleza e confirmou o rebaixamento à Série B. E na edição de 2019, foi vencendo o Bahia lá, por 2x1 na última rodada, que o Fortaleza se classificou para a Copa Sul-Americana, até então inédito para o clube.

Antes da trágica queda, porém, o Bahia saiu do Castelão feliz ao eliminar o Fortaleza nos pênaltis, nas semifinais da Copa do Nordeste 2021, em maio; e ao golear por 4x0, em fevereiro, em jogo que valeu pelo Campeonato Brasileiro de 2020 e foi fundamental para o time baiano evitar a queda. 

São essas boas recordações que os tricolores querem manter vivas em mais um duelo. “A expectativa é a melhor possível. O Castelão deve estar cheio, lotado com a torcida deles. Um dos jogos mais gostosos para jogador é esse tipo de jogo, fora de casa”, disse o meia Daniel.

Por lotado, entenda-se diante da capacidade atual, reduzida a 30% do limite por causa de um decreto do governo do Ceará. Com isso, o Castelão receberá no máximo 19 mil torcedores. Até sexta já havia 17.395 garantidos.

Para o confronto deste sábado, Bahia e Fortaleza chegam em condições bem diferentes. Enquanto o Esquadrão ainda lambe as feridas do rebaixamento e tenta encontrar um norte na temporada, o time cearense vive a sua melhor fase na história e vai disputar a Copa Libertadores pela primeira vez.

O reflexo do momento de cada time aparece também na tabela. O tricolor baiano inicia a rodada na quarta colocação do grupo B, com sete pontos, e o cearense lidera a chave A, com 9 pontos, invicto no torneio.

“Jogo muito importante, adversário mais difícil até agora na temporada. Também é um grande teste para nossa equipe se provar, se mostrar. Vai ser um jogo aberto, o time deles vai vir para cima da gente. Nosso time também gosta de atacar bastante. Esperamos que possamos sair felizes de lá”, completou Daniel.

Ex-Bahia, Titi volta ao time do Fortaleza após ser poupado. “A gente tem um passado muito recente vitorioso em cima do nosso adversário. Esperamos repetir”, disse o zagueiro.

Com a missão de desbancar o favoritismo do adversário, o técnico Guto Ferreira vai ser obrigado a mudar o time. O zagueiro Luiz Otávio foi expulso no empate com o CSA, o que deixa Henrique e Gustavo Henrique na disputa da posição. 

Além disso, o colombiano Rodallega sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo e virou dúvida. O centroavante lidera a artilharia do Nordestão, com quatro gols. Caso não tenha condições, Cirino e Ronaldo são as principais opções.

Bahia e Fortaleza não é o único confronto entre baianos e cearenses neste sábado. Também pela Copa do Nordeste, o Atlético de Alagoinhas recebe o Ceará, às 16h, no Carneirão, em Alagoinhas. O visitante lidera o grupo B. O Carcará está em 5º no A.

Confira as prováveis escalações: 

Bahia: Danilo Fernandes, Douglas Borel, Ignácio, Gustavo Henrique (Henrique) e Matheus Bahia; Willian Maranhão, Patrick e Daniel; Raí, Marcelo Cirino (Rodallega) e Marco Antônio. 

Fortaleza: Fernando Miguel, Tinga, Benevenuto e Titi; Yago Pikachu, Felipe, Ronald, Lucas Lima e Lucas Crispim; Moisés e Silvio Romero.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas