Em rede social, Bellintani garante Roger como técnico do Bahia

e.c. bahia
31.08.2020, 20:13:00
Atualizado: 31.08.2020, 20:16:06
Bellintani explicou que está atento ao cenário e que pode fazer mudanças caso o planejado não acontença (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Em rede social, Bellintani garante Roger como técnico do Bahia

Presidente tricolor explicou que analisou cenário, mas decidiu manter o treinador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, usou as redes sociais para garantir que o técnico Roger Machado está mantido no cargo que ocupa no clube. Em uma série de mensagens postadas em sua conta pessoal no Twitter, Bellintani explicou que analisou a troca no comando técnico, mas decidiu que a manutenção é o melhor caminho.

"Após o título estadual, analisamos uma série de fatores e, diante do cenário levantado, com todas as informações e contextos avaliados, decidimos continuar com Roger. Conversamos muito, debatemos os problemas, reconhecemos os erros, defeitos e também os pontos positivos", disse o dirigente em uma das postagens.

"No início do Brasileirão, traçamos uma meta de pontos a cada grupo de 6 jogos. Essa projeção nos coloca com chances reais de Libertadores e foi o parâmetro que escolhemos para avaliar o trabalho do treinador e dos atletas, evitando inclusive análise isolada jogo a jogo", continuou ele.

Bellintani disse ainda que está atento ao cenário e que vai fazer mudanças caso o que foi planejado não esteja dando certo.

"No momento em que percebermos que algum desses elementos está ameaçado, faremos mudanças. Se os requisitos citados estiverem sendo alcançados, entendemos que o certo é dar sequência ao trabalho que, com as metas atingidas, pode se tornar histórico para o clube", explicou o presidente tricolor.

As mensagens de Guilherme Bellintani acontecem dias após Roger Machado ter deixado em aberto a sua situação no clube. Apo ser questionado sobre o uso de Gregore no empate contra o Palmeiras, já que Ronaldo não poderá enfrentar o Flamengo, nesta quarta-feira (2), em Pituaçu, o treinador explicou que não poderia fazer planejamentos longos pois não sabia se estaria à frente da equipe no próximo compromisso.

Roger Machado entrou em rota de colisão com parte da torcida tricolor após o Bahia apresentar desempenho ruim nos jogos das finais da Copa do Nordeste e do Campeonato Baiano.

Na semana passada, representantes de uma torcida organizada do Bahia fizeram um protesto na porta da Cidade Tricolor exigindo a saída do técnico.

Em cinco jogos pelo Brasileirão, o Bahia conquistou oito pontos. Nesta quarta-feira (2), o time recebe o Flamengo, às 20h30, no estádio de Pituaçu.

Confira a sequência de mensagens publicadas pelo presidente do Bahia:

1. Um papo reto, aberto e franco com você, torcedor do Bahia. Há inúmeros motivos para o “Fora Roger”. Há frustrações compreensíveis. Todos nós sabemos que podemos e merecemos mais.

2. A decisão mais fácil para a diretoria e mais aplaudida pela maioria da torcida seria trocar o treinador ainda antes do início do Brasileirão. Um alívio de curto prazo e muitos tapinhas nas costas. Pensamos seriamente nisso, até porque a troca não seria uma decisão absurda.

3. Após o título estadual, analisamos uma série de fatores e, diante do cenário levantado, com todas as informações e contextos avaliados, decidimos continuar com Roger. Conversamos muito, debatemos os problemas, reconhecemos os erros, defeitos e tb os pontos positivos.

4. No início do Brasileirão, traçamos uma meta de pontos a cada grupo de 6 jogos. Essa projeção nos coloca com chances reais de Libertadores e foi o parâmetro que escolhemos para avaliar o trabalho do treinador e dos atletas, evitando inclusive análise isolada jogo a jogo.

5. Além da meta de pontuação, passamos a valorizar ainda mais questões como liderança do treinador, respeito do grupo, envolvimento dos atletas com o projeto e competitividade nos jogos (deixar o máximo em campo). Isso também é importante e é uma análise que fazemos dia a dia.

6. No momento em que percebermos que algum desses elementos está ameaçado, faremos mudanças. Se os requisitos citados estiverem sendo alcançados, entendemos que o certo é dar sequência ao trabalho que, com as metas atingidas, pode se tornar histórico para o clube.

7. Todos os clubes têm apresentado dificuldade técnica, tática e física nessa retomada do futebol - jogos com intervalos de três dias, após quatro meses de paralisação. Equipes com treinadores contestados e quase demitidos estão hoje em posições de dianteira no campeonato.

8. Temos profundo respeito a quem pensa diferente, aos que tomariam outra decisão se estivessem em nosso lugar. Mas o que escrevi aqui para vocês é a síntese mais verdadeira do que acredito, com a alma de quem quer o melhor para o clube.

9. Ser omisso para nós seria trocar o treinador sempre que tivéssemos um momento ruim da equipe. Segurar a pressão quando acreditamos ainda haver potencial pra evolução é uma escolha que requer firmeza. Não é teimosia, é decisão com base na avaliação de todo o cenário.

10. Estamos trabalhando para sermos competitivos sempre (mesmo que nem sempre com o futebol mais vistoso), mantermos a meta de pontuação traçada no início do campeonato e termos um grupo de atletas envolvidos. Se isso não acontecer, estaremos preparados para mudanças. 
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas