Em Santiago, Thiago Wild fatura 1º ATP e supera feito de Guga

esportes
01.03.2020, 19:44:00
Atualizado: 02.03.2020, 11:31:25
Thiago Wild celebra a vitória na final em Santiago (ATP / Divulgação)

Em Santiago, Thiago Wild fatura 1º ATP e supera feito de Guga

É o mais jovem brasileiro a vencer um torneio da ATP

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Thiago Seyboth Wild está na história do tênis brasileiro. Neste domingo (1º), o paranaense de 19 anos tornou-se o mais jovem jogador do país a vencer um torneio da elite mundial ao ganhar o ATP de Santiago, no Chile. Na decisão, ele passou com autoridade pelo norueguês Casper Ruud, 38º colocado do ranking mundial, por 2 sets a 1, com parciais de 7/5, 4/6 e 6/3.

Até este domingo, o recorde pertencia a Gustavo Kuerten, que tinha 20 anos quando conquistou o primeiro de seus três títulos de Roland Garros, em junho de 1997. Além disso, Thiago é o primeiro jogador nascido no ano 2000 a vencer um evento do circuito da ATP.

A conquista do paranaense é a primeira de um brasileiro em um torneio da ATP desde 2015, quando Thomaz Bellucci foi campeão em Genebra, na Suíça. Ele colocou seu nome na lista de jogadores do Brasil que conquistaram pelo menos um título do circuito mundial. Além de Guga e Bellucci, a relação é composta por Thomas Koch, Carlos Alberto Kirmayr, Luiz Mattar, Jaime Oncins, Fernando Meligeni e Ricardo Mello.

Com a vitória, Wild vai dar um salto no ranking mundial. Ele começou o evento de Santiago, do qual participou como convidado na chave principal, na 182ª colocação e, na segunda-feira (2), quando a classificação será atualizada, vai aparecer na 113ª, a melhor de sua curta carreira - até a competição chilena, o paranaense só havia vencido dois jogos em torneios da ATP.

Wild era o azarão diante de um jogador que recentemente conquistou o título do ATP de Buenos Aires. E ele não começou bem, cometendo muitos erros e sendo quebrado em seus dois primeiros games de saque. Para sorte dele, Ruud também não estava muito firme e foi quebrado no primeiro game de serviço.

Depois de passar muito sufoco, Wild cresceu no fim do primeiro set e viu o europeu sentir a pressão. No 12º game, Ruud errou demais, perdeu seu saque e permitiu ao brasileiro fechar em 7/5

No segundo set, os dois jogadores cresceram e a partida ficou bem equilibrada, com poucas oportunidades de quebra. No único deslize que cometeu, o brasileiro perdeu o serviço e Ruud fechou a parcial em 6/4.

Sendo tão jovem, seria natural que o brasileiro desabasse no set decisivo, mas não foi o que aconteceu. Ele quebrou o saque de Ruud logo no começo e conseguiu manter seu serviço até o fim da partida sem muitas dificuldades. Em uma demonstração de maturidade precoce, Wild fechou o jogo no nono game sem perder um ponto sequer, surpreendendo quem esperava que ele ficasse nervoso com a situação.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas