Escola é demolida em São Marcos e terá investimento de R$16,9 milhões na reconstrução

salvador
27.04.2022, 11:28:00
(Foto: Betto Jr/Secom)

Escola é demolida em São Marcos e terá investimento de R$16,9 milhões na reconstrução

Estudantes serão remanejados provisoriamente para o Espaço Axé, na entrada do Conjunto Colina Azul

O prefeito Bruno Reis assinou, nesta quarta-feira (27), a ordem de serviço para demolição e reconstrução da Escola Clériston Andrade, localizada na Rua Djalma Sanches, 106, em São Marcos. Com investimento de R$16,9 milhões, o novo prédio terá mais de 5 mil m² de área construída. Será um imóvel novinho, de qualidade, que substituirá a antiga estrutura, cujos problemas a tornam inadequada para atividades escolares.

Até o final das obras, os estudantes serão remanejados provisoriamente para o Espaço Axé, na entrada do Conjunto Colina Azul. “A estrutura atual da Escola Clériston Andrade cumpriu o seu papel, mas já não estava mais oferecendo o padrão de qualidade que queremos para a educação de Salvador”, declarou Bruno Reis.  

Na ocasião, o prefeito ressaltou ainda que a capital baiana passa, neste momento, pelo maior investimento da história da cidade na requalificação da rede física escolar. “São R$300 milhões investidos em reformas, ampliações, reconstruções e construções de novas escolas. De novembro para cá, já foram reformadas e ampliadas 168 unidades, como a Escola Municipal Orlando Imbassahy, que está completamente renovada. Esta é a realidade de quase todas as 428 unidades da rede”, disse.

Atualmente com 800 alunos matriculados, a escola Clériston Andrade atende o Ensino Fundamental II. De acordo com o diretor da unidade de ensino, Jorge Antônio de Oliveira, com a obra, a capacidade passará a ser de 3 mil alunos e oferecerá também turmas do Ensino Fundamental I, abrangendo assim toda a comunidade de São Marcos.

O novo prédio terá 34 salas de aula, sala multiuso, auditório, sala de leitura e duas salas de Atendimento Educacional Especializado (AEE). As atividades de lazer e educação física terão espaços próprios, como recreio coberto, recreio descoberto e quadra poliesportiva coberta.

Outros ambientes são as salas de acolhimento, diretoria, secretaria, coordenação e de professores, copa, depósito de material didático, depósito de material de limpeza, cozinha, triagem, depósito de merenda, área de serviço, refeitório, sanitários de alunos, sanitários PCD masculino e feminino, sanitários de funcionários, sanitários de professores, vestiários, guarita com sanitário, subestação, elevador, casa de gás, casa de lixo reciclado e orgânico, área técnica e estacionamento.

Ex-estudante da unidade de ensino, a diarista Aitana Santos, de 35 anos, mãe de uma aluna do 9º ano, revelou que a estrutura atual sofre, principalmente, com problemas de infiltração no período chuvoso. “É uma escola antiga e há muito tempo precisava de uma intervenção. Aqui o ensino é excelente, tem professores muito bons e merece essa melhoria. Estamos bem entusiasmados com essa obra”, declarou.

Nos últimos 15 meses, a prefeitura entregou 11 novas escolas na cidade. Mais de 100 escolas foram requalificadas, recebendo obras diversas melhorias no piso telhado, instalações elétricas e hidrossanitárias. De acordo com a Smed, mais 14 novas escolas deverão ser entregues ainda neste ano de 2022.

"Temos melhorado muito a estrutura da nossa rede. É um projeto audacioso que envolve recursos vultosos, mas que dará condições muito melhores de educação para os alunos da cidade", pontuou o secretário Marcelo Oliveira.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas