Especialistas apostam que volta de aulas presenciais será diferencial para o Enem 2022

educação
11.05.2022, 05:30:00

Especialistas apostam que volta de aulas presenciais será diferencial para o Enem 2022

Foi dada a largada: veja todas as informações sobre as inscrições para o exame

"Acabei de fazer, logo depois de chegar da escola. Quis garantir minha vaga o mais rápido possível", responde a estudante Myrela Sena, 17 anos, quando perguntada sobre as inscrições para o Enem 2022 nas versões impressa e digital, que foram abertas na terça-feira (10) e se encerram no dia 21 de maio. Para fazer como Myrela, é fácil: basta acessar a página do participante do Enem e preencher os dados necessários. Quem não conseguiu a isenção, vai precisar pagar R$ 85 pela inscrição, até 27 de maio, via PIX, cartão de crédito ou boleto.

Apesar das inscrições se abrirem em maio e a realização do exame acontecer apenas em novembro, a preparação e a expectativa já fazem parte do dia a dia dos candidatos que almejam uma vaga no ensino superior. Para Myrela, que vai fazer o exame pela primeira vez neste ano, a ansiedade é ainda mais forte. Por não ter feito as provas anteriores para treinar, ela afirma ter um pouco de receio. 

"Vou fazer para valer e é minha primeira vez. Faz dois meses que estudo focada no exame. Estou muito ansiosa e tenho um pouco de medo. Fico com receio de não acertar fazer, da redação, do tema que vai ser. Isso tudo justamente por não ter feito antes", relata a estudante, que ainda está indecisa sobre o que quer cursar e vai compensar a falta de experiência no exame com os esforços nos estudos.

Myrela vai fazer Enem pela primeira vez (Foto: Acervo Pessoal)

Expectativa e preparação

Ana Maria Marques, 17, não tem dúvidas e já sabe que quer cursar Química no Ensino Superior. Sobre a expectativa para a prova, ela não nega que tenha ficado mais alta com as inscrições, mas diz que sabe conter isso com o estudo. "Me preparando eu estou, mas aquela ansiedade sempre acaba batendo. Porém, a gente já treina bastante pra controlar isso. E acredito também que esse Enem pode ser mais tranquilo por ter questões de provas anteriores e termos mais familiaridade com as perguntas", fala a estudante, que planeja se inscrever no próximo domingo para o exame.

Ana Maria quer cursar Química (Foto: Acervo Pessoal)

Indeciso ainda se vai fazer um curso de Engenharia ou tentar Odontologia, o estudante Lucas Cedraz, 16, também já apertou o acelerador no quesito preparação. Mesmo estudando em dois períodos, reserva parte da noite para revisar assuntos da prova. "A expectativa está alta, mesmo depois de fazer ano passado para treinar. Esse ano, estou dando uma pegada a mais no estudo, revisando diariamente e vencendo o cansaço para focar já que estudo em tempo integral. É um sacrifício necessário porque é meu futuro e quero me sair bem no Enem", afirma ele. 

Para Lucas, um dos principais trunfos para cumprir a meta de ir bem no exame é a volta das aula integralmente presenciais depois de dois anos em regime de home office ou ensino híbrido. "O presencial é muito bom para o ensino. Na escola, onde focam muito no Enem, consigo aprender bastante e revisando em casa também. Conciliando as aulas 100% presenciais e as minhas revisões aqui, é muito melhor do que fazer isso só em casa. Você acaba tendo mais foco", opina Lucas.

Lucas acha que aulas presenciais vão ajudar na preparação (Foto: Acervo Pessoal)

Só ganhos

Para quem mais entende sobre educação e preparação para o Enem, o retorno integral ao presencial também é bem visto. Indaiara Célia da Silva, que é pedagoga e chefe do Departamento de Ensino Técnico do IFBA, afirma que o presencial traz ganhos significativos. Um deles é o pedagógico: "Com o retorno ao presencial, as dúvidas são sanadas de melhor forma e nós ficamos mais próximos dos alunos para lidar com as ansiedades. [...] Essa proximidade física tem um componente emocional e representa, portanto, um ganho na preparação para a prova", diz a pedagoga.

Breno Pires é coordenador pedagógico do Pré-vestibular do Bernoulli e corrobora com as falas de Indaiara. Segundo ele, em casa, estudantes estão expostos a ambientes não muito favoráveis a aprendizagem e a volta acaba com isso."A gente vê uma melhora grande na aprendizagem no presencial porque a educação em si não é simplesmente assistir aula e aprender. A presença dos professores e dos colegas traz mais segurança. [...] O retorno presencial elimina problemas de ambientes muitas vezes não apropriados em casa para o estudo e traz os estudantes pro lugar que é projetado para isso", explica o coordenador.

Além do ganho pedagógico, Indaiara cita outro: o político. De acordo com ela, a volta do presencial em sua integridade é crucial para caminhar contra a eletrização do Enem. "Mais que o ganho pedagógico, o retorno traz um ganho político. O Enem 2021 foi o mais elitista da última década.  Tivemos 3 milhões de inscritos e só 2 milhões fizeram a prova [...] A redução de alunos fazendo a prova é atribuída a crise financeira e falta de preparação em função da improvisação da educação on-line oferecida. Com o presencial, isso vai ser mitigado", pontua, ressaltando que o acompanhamento mais próximo pode reduzir a abstinência por despreparo.

O Enem de 2021 teve 26% de abstenção no primeiro dia de realização do exame e 29% no segundo, de acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep). Compareceram à prova no primeiro dia apenas 2,3 milhões de candidatos. Em edições anteriores, o Enem recebia o dobro de candidatos.

O que muda e o cronograma

Em 2022, pela primeira vez, será possível se identificar nos locais de prova com documentos digitais, sendo aceitos pelo INEP o e-Título, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) Digital e o RG Digital. Mas é preciso estar atento, capturas de tela não serão aceitas, só entra na sala o candidato que apresentar o aplicativo oficial ao fiscal.

Veja as datas:

Inscrições: 10 a 21 de maio
Pagamento da inscrição: 10 a 27 de maio
Pedido de atendimento especializado: 10 a 21 de maio
Pedido de tratamento pelo nome social: 23 a 28 de junho
Provas: 13 e 20 de novembro

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas