Estimativa é de que safra baiana de grãos em 2020 seja recorde: 9,4 mi de ton

economia
08.07.2020, 16:32:00
Atualizado: 08.07.2020, 16:38:08
(Divulgação)

Estimativa é de que safra baiana de grãos em 2020 seja recorde: 9,4 mi de ton

É a maior da série histórica do levantamento realizado pelo IGBT desde 1972

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A estimativa de junho para a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas (também conhecidos como grãos) em 2020 prevê uma produção recorde de 9.359.331 toneladas neste ano - a maior da série histórica do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatistica (IBGE) desde 1972.

A safra de grãos 2020, na Bahia, deve ficar 13,0% acima (ou mais 1.075.671 toneladas) da colhida em 2019 (8.283.660 toneladas). A previsão de junho para o estado ficou 3,2% maior que a de maio, quando a estimativa era de uma safra de 9.065.031 toneladas de grãos neste ano. 

Isso, segundo o IBGE, ocorreu por conta da revisão para cima na estimativa de produção baiana de soja em 2020, que ficou em 6.027.500 toneladas em junho, 3,8% maior (mais 220,5 mil toneladas) que a do mês anterior (que tinha sido de 5.807.000 toneladas). 

O aumento na previsão de safra de soja na Bahia se deu em razão de uma expectativa de crescimento na área plantada, de 1,600 milhão para 1,620 milhão de hectares, na passagem de maio para junho (+1,2%). 

Com isso, a produção de soja na Bahia em 2020 (6,027 milhões de toneladas) deve ficar 13,5% maior que a de 2019 (5,309 milhões de toneladas). 

No país como um todo, também houve revisão para cima na estimativa de produção de soja neste ano. Em junho, a previsão é de uma safra nacional recorde de 119,9 milhões de toneladas, 0,4% acima da previsão de maio e 5,6% maior que a de 2019. 

A Bahia é o sexto maior produtor de soja do Brasil
Em nível nacional, a estimativa de junho para a safra de grãos 2020 é de recorde na série histórica do IBGE, chegando a 247,4 milhões de toneladas, 2,5% superior à de 2019 (que foi de 241,5 milhões de toneladas), e 0,6% maior (1,5 milhões de toneladas) em relação ao estimado em maio.

As informações são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado mensalmente pelo IBGE. O grupo de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos) engloba os seguintes produtos: arroz, milho, aveia, centeio, cevada, sorgo, trigo, triticale, amendoim, feijão, caroço de algodão, mamona, soja e girassol.

A partir das informações desta sexta estimativa, a Bahia deve se manter, em 2020, com a oitava maior produção de grãos do país, respondendo por 3,8% do total nacional. Mato Grosso deverá continuar na liderança, com 28,4%, seguido, mais uma vez, por Paraná (16,4%) e Rio Grande do Sul (10,7%).

Apesar da revisão para cima na estimativa de produção baiana de soja em 2020, a previsão agora é que 11 das 25 safras de produtos investigadas pelo LSPA no estado sejam maiores que as de 2019. Em maio, a previsão era de 12 safras maiores neste ano.

A queda se deu por conta das revisão para baixo na produção de tomate, que de maio para junho apresentou queda de 15,3%, fazendo que houvesse uma redução de 34.600 toneladas em relação ao resultado de 2019 (-12,5%).

As produções com previsão de maior crescimento, em termos absolutos, no estado são as de cana-de-açúcar (+944.000 toneladas ou +22,4%), soja (+718.100 toneladas ou +13,5%) e milho 1ª safra (+259.600 toneladas ou +19,0%)

Por outro lado, banana (-190 mil toneladas ou -18,3%), algodão herbáceo (-64 mil toneladas ou -4,3%) e feijão 1ª safra (-35,5 mil toneladas ou -20,6%) lideram as quedas absolutas de produção.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas