Ex de Gugu quebra o silêncio e fala sobre apresentador: 'não era namoro escondido'

em alta
11.05.2020, 10:54:00
Atualizado: 11.05.2020, 11:50:12

Ex de Gugu quebra o silêncio e fala sobre apresentador: 'não era namoro escondido'

Em entrevista, Thiago Salvático falou sobre disputa pela herança bilionária

No início deste ano, o nome de Thiago Salvático surgiu em meio as polêmicas envolvendo Gugu Liberato após a sua morte. Apontado como namorado do apresentador, o chef de cozinha entrou na Justiça pedindo reconhecimento de união estável e querendo a sua fatia da herança do ex-Record.

Apesar da forte movimentação na Justiça, Thiago sempre se recusou a dar entrevistas. Mas, ele finalmente quebrou o silêncio e abriu o jogo sobre a sua versão da história. Em conversa com o colunista Leo Dias, o chef falou sobre como era viver um namoro longe dos holofotes com alguém famoso.

"Desde o início ele deixou claro que deveríamos nos preservar. O que não significa dizer que vivíamos de forma secreta ou escondida. Muito pelo contrário. As pessoas mais próximas ao Gugu, com exceção dos filhos e da mãe dele, me conheciam", lembrou. 

"Gugu era muito reservado. Viajávamos juntos, ficávamos no mesmo quarto, fazíamos as refeições e os passeios juntos. No Brasil, eu também andava ao lado dele e frequentava todas as residências na condição de companheiro. Mas essa decisão de preservar a intimidade o impedia de abordar esse assunto livremente junto aos filhos, ao irmão, à mãe, aos fãs e à imprensa", completou.

Foram 7 anos de namoro, o suficiente para Thiago achar que tem direito a parte da herança - Gugu deixou 75% de sua fortuna aos filhos e 25% aos sobrinhos. Na mesma entrevista, ele explicou as razões de ter entrado na Justiça.

"Quando o Gugu fez o testamento, em 2011, ele não me conhecia. Existe aí uma questão jurídica para advogados e para o juiz, mas o fato de eu não constar no testamento de 2011 não retira a minha condição de herdeiro, como companheiro. Eu sei o papel e a importância que tive na vida do Gugu", justificou.

"O nosso relacionamento só terminou em razão do falecimento dele. A minha pretensão é legítima. Eu tenho a obrigação de defender a nossa relação e a verdade. Apresentei muitos documentos na ação. Também juntei parecer jurídico elaborado pela dra. Maria Berenice Dias, uma das maiores autoridades em direito homoafetivo no Brasil. Confio que a Justiça reconhecerá a união estável que mantive com Gugu", concluiu.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas