Família de William vai se mudar após Iuri Sheik ser solto: 'Temo pelas minhas netas'

salvador
16.09.2020, 05:05:00

Família de William vai se mudar após Iuri Sheik ser solto: 'Temo pelas minhas netas'

Influenciador digital é acusado de matar empresário no São João de 2019

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Justiça concede habeas corpus, e Iuri Sheik deixa a cadeia

(Reprodução)

Surpreendida com a soltura do influenciador digital Iuri dos Santos Abrão Silva, apelidado de Iuri Sheik, que agora responde em liberdade pela morte de William Oliveira, 28, a auxiliar de cozinha Nélia de Oliveira, 51 anos, foi tomada mais uma vez pelo pânico e decidiu às pressas mudar de casa pela terceira vez. “A gente tem medo e por isso vive se mudando. Ele é frio e já demonstrou isso matando o meu filho. Poderá se vingar na gente. Já me mudei duas vezes e agora vou sair de novo”, disse ela, na manhã dessa terça-feira (15), ao CORREIO. 

Nélia afirmou que a preocupação maior dela é com as três netas, fruto de dois relacionamentos de William, empresário morto a tiros no São João de 2019, na cidade de Santo Antônio de Jesus. “Temo pela vida de minhas netas. São crianças e não têm como se defender. Meu filho, que era maior e mais forte que ele não teve chance de defesa, imagina elas. Ele é um assassino confesso. Tirou a vida do meu filho porque tinha muita inveja dele, porque meu filho era mais querido, porque as pessoas sabiam que o meu filho era um homem de caráter, honesto e trabalhador, ao contrário de quem o matou covardemente. Todo mundo sabe, mas tem medo de falar dele”, desabafou. 

Iuri Sheik teve habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ) e deixou o Complexo da Mata Escura no início da tarde dessa segunda-feira (14). Ele estava preso de maneira preventiva desde junho do ano passado por uma acusação de homicídio. O habeas corpus foi deferido pelo desembargador Eserval Rocha, do TJ-BA.

“Como é que o Ministério Público diz uma coisa e a Justiça faz outra? Na semana retrasada, a Justiça havia negado o habeas corpus. Todo mês ele pedia, alegando pneumonia, por conta do coronavírus. Quero que a Justiça seja justa!”, desabafou mais uma vez a mãe de William. 


Através de uma nota, a assessoria do Ministério Público do Estado informou que "a decisão judicial será analisada para a adoção das medidas que se fizerem cabíveis".

Autor confesso, Iuri Sheik deixou a cadeia por volta das 12h30, indo a pé até o carro de um advogado, que o esperava em frente à prisão. "A Justiça baiana vai saber a verdade", disse ele assim que saiu. Questionado se estava arrependido, ele respondeu:  "Jamais. Deus é comigo".  As declarações do influenciador digital à imprensa revoltaram Nélia. “Ele é arrogante, zombando de nossa família. Foi por isso que meu filho não quis cumprimentá-lo, não quis dar a mão a ele, porque ele é arrogante e sempre teve inveja de William. Meu filho era bonito por dentro e por fora, uma pessoa simples. Não tinha besteira. Meu filho só não ficou rico, porque era uma pessoa bondosa, ajudava todo mundo”, disse a mãe do empresário. 

O medo de sofrer uma represália não paira somente em Nélia, mas sim na família toda. William deixou três filhas, duas delas de um relacionamento. As irmãs de dez e oito anos tomaram conhecimento da notícia através da imprensa. “Fiquei sabendo que ele (Iuri) estava soltou por uma de minhas filhas. É um medo, desespero. Estamos todos com medo. Esperamos que a justiça fosse feita. Minhas filhas voltaram a ter pânico e terão que retomar os tratamentos médicos. A mais nova não desgruda de mim desde ontem. Estamos em pânico do que ele pode fazer solto agora”, declarou a mãe das meninas, Eniele Santos, 32. 

O CORREIO tentou entrevistar Iuri Sheik, sem sucesso. A reportagem havia combinado com um dos defensores de Iuri, o advogado Victor Valente, de entrevistar o digital influencer às 10h30 desta terça-feira (15), mas eles desistiram de se manifestar sobre o caso.

Relembre

Iuri Sheik e Will se desentenderam durante tentativa de cumprimento (Foto: Reprodução)

O influenciador digital foi acusado, e confessou, ter atirado contra William Oliveira, 28 anos, ex-sócio da banda de pagode Black Style. O fato aconteceu na noite de 23 de junho de 2019, em uma festa de paredão em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano. A vítima foi atingida no peito duas vezes, chegou a ser internada, mas morreu três dias depois. William deixou três filhas: a mais velha de 13 anos, uma de 11 e a caçula, que na época tinha apenas 40 dias de vida. 

Conforme noticiado pelo CORREIO na data do ocorrido, Iuri teria disparado contra William porque este tinha recusado a cumprimentá-lo. “Inicialmente, a versão que chegou para nós foi que havia acontecido uma briga de trânsito. No entanto, foi ouvindo as testemunhas que chegamos à nova versão do fato. Todos ouvidos até agora contam que Iuri estendeu a mão e William disse: ‘não vou dar a mão porque não gosto de você’. Então, Iuri foi no carro, pegou a arma e atirou”, contou o delegado Edilson Magalhães.

A recusa de William seria por causa de uma rixa antiga com o digital influencer. “Parece que foi coisa de fofoca, picuinha no meio artístico. O porquê da rixa não é o mais importante. O importante é o fato do cara ter atirado porque o outro não o cumprimentou. Isso é o fato imediato. Temos testemunhas que viram ele atirando”, complementou Magalhães.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas