Fanfarras da rede estadual se apresentam no Bando Anunciador de 2 de Julho

bahia
29.06.2022, 20:39:00
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)

Fanfarras da rede estadual se apresentam no Bando Anunciador de 2 de Julho

Alunos desfilaram até a Lapinha, onde executaram o Hino da Independência da Bahia

O Dois de Julho é nesse sábado, mas as comemorações já começaram na sede dos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojiba), no Parque do Queimado, onde cerca de 400 estudantes, que integram seis fanfarras de escolas estaduais, participaram, nesta quarta-feira (29), do bando anunciador do feriado. Para fechar o evento, os alunos desfilaram até a Lapinha, onde executaram o Hino da Independência da Bahia. 

O hino foi executado no pavilhão onde estão guardadas as imagens do caboclo, que representa os índios e mestiços baianos que lutaram pela Independência da Bahia contra as tropas portuguesas, derrotadas no dia 2 de Julho de 1823, e da cabocla, que representa a índia Catarina Paraguaçu e a figura feminina nas lutas pela independência.

É o que explica o maestro do Neojiba, Helder Passinho, que comandou a apresentação do hino executado pelas fanfarras. Segundo ele, a ideia do evento era fazer a abertura dos festejos do feriado de 2 de Julho. Ele também ressalta a importância dessa cultura na vida das crianças e adolescentes.

“É através da prática musical, da convivência entre amigos e colegas músicos que acontece o desenvolvimento social, onde as pessoas aprendem a conversar, a conviver e se respeitar, apreciando o belo. É a partir daí que as pessoas saem transformadas, em estarem todos juntos, diferentes, mas com o mesmo propósito, que é criar beleza, criar arte”, destacou o maestro.

Confira a programação do 2 de Julho aqui.

Além da execução do hino, as bandas também realizaram uma competição entre si, cada uma se apresentou por cerca de 15 minutos, com música dos instrumentos da fanfarra, muita dança e, claro, gritaria do público.

A diretora do Colégio Estadual Dinah Gonçalves, localizado no bairro de Valéria, Cristiane Cunha, conta que a fanfarra incentiva os estudantes a levarem a música como algo bom e positivo em suas vidas, para que os valores positivos sejam fortalecidos, como o da paz, união e respeito. 

“Apesar das dificuldades de falta de recursos, a gente vê a vontade deles, o desejo de participar, a motivação. Quando tem evento eles ficam muito felizes e ansiosos e isso acrescenta muito na vida deles, é uma interação fantástica”, ressaltou a diretora. 

Pai de um dos estudantes que se apresentaram, o vigilante fiscal Celestino Barreto, de 47 anos, acredita que a música também significa libertação dos jovens, que usam a arte para fugir do contexto de violência que eles vivem todos os dias nos bairros periféricos da cidade. “Ele [seu filho] está gostando muito de participar, é um grupo de jovens muito abençoado. A gente percebe uma melhora no comportamento e no pensamento de cada aluno, é um incentivo muito bom”, afirmou. 

Quem fez uma viagem para participar do evento foi o Grupo Cultural Magia da Juventude, comandado pela educadora social Diana Souza, que trouxe os alunos de Dias D’Ávila, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), para se apresentar no bando anunciador de Dois de Julho.

“Fazemos um trabalho em comunidade de resgate e inclusão social dessas crianças e adolescentes de escolas da cidade. Hoje trouxemos um grupo de 25 pessoas para participar e todos vieram com muita dedicação. Eles enxergam isso como uma forma de diversão e aprendem a trabalhar em equipe com muita empolgação. Eles mesmo que personalizam e bordaram as próprias roupas”, explicou.  

O articulador do movimento Unebandas e da União Estudantil das Bandas e Fanfarras, Hermival Rego, explicou sobre o contexto histórico da iniciativa. “A parte mais importante é o resgate deste tradicional evento que, segundo o escritor Manoel de Quirino, passou a abrir os festejos da Independência da Bahia a partir de 1824. O objetivo é chamar a atenção da população para a celebração da Independência da Bahia”.

A estudante Lúcia da Silva, 14, que toca prato na fanfarra do Colégio Estadual João Caribé, disse que gostou muito de participar do evento. “Foi muito bom poder me apresentar e interagir com as pessoas através da fanfarra”.

Para a estudante Maria Eduarda de Oliveira, 14, que faz parte do coreográfico do Colégio Estadual Desembargador Pedro Ribeiro, se apresentar no evento foi gratificante. “Me diverti muito durante a apresentação, que também foi uma forma de homenagear a nossa escola”, afirmou.

As seis unidades escolares participantes do evento foram: Colégio Estadual João Caribé; Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão, Negócios e Turismo Luiz Navarro de Brito; Colégio Estadual Rubén Dario; Colégio Estadual Desembargador Pedro Ribeiro; Colégio Estadual Dinah Gonçalves; e Colégio Estadual Professor Carlos Alberto Cerqueira. Também houve a participação do Grupo Magia da Juventude, do município de Dias D’ Ávila.

(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)
(Foto: Paula Fróes/CORREIO)

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas