Fernandão busca redenção em final para 'virar' ídolo do Bahia

e.c. bahia
01.08.2020, 09:30:00
Fernandão precisa ativar o modo artilheiro para ajudar o Bahia a ficar com o título do Nordestão (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Fernandão busca redenção em final para 'virar' ídolo do Bahia

Sem Gilberto, atacante será a referência do ataque tricolor contra o Ceará

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Quando a bola rolar para Bahia x Ceará, neste sábado (1º), às 16, no estádio de Pituaçu, um jogador tricolor vai ter a chance para firmar de vez o nome da história do clube. Com a ausência de Gilberto, fora de ação após sofrer um estiramento no ligamento do joelho, Fernandão vai ser a principal referência do ataque nas duas partidas da final da Copa do Nordeste.

É do camisa 20 a missão de fazer os gols que o Bahia precisa para ficar com o título e chegar ao tetracampeonato. Mais do que isso, Fernandão sabe que é a oportunidade para retribuir pela esperança que foi depositada nele.

“Fiz muita reflexão. Uma dessas é poder conquistar mais títulos. Vejo muitas pessoas mandando mensagem, falando 'ídolo, ídolo'. Não me considero ídolo. Um Campeonato Baiano não é o suficiente para se tornar ídolo. Posso considerar a partir de uma Copa do Nordeste, uma Sul-Americana. Objetivo maior para me tornar ídolo é levar o time a uma Libertadores', disse Fernandão durante entrevista na Cidade Tricolor.

A reflexão tem um motivo e está condicionada ao seu rendimento. Na primeira passagem pelo Bahia, em 2013, o atacante conseguiu algo que poucos jogadores conseguem: a idolatria da torcida.

Os 15 gols marcados no Brasileirão daquele ano ajudaram o tricolor a se manter na primeira divisão em uma temporada conturbada após intervenção judicial na diretoria executiva. O contexto e a boa fase ajudaram Fernandão a cair nas graças do torcedor.

O jogador deixou o clube para fazer fama na Turquia, mas manteve vivo o sonho do retorno. Em 2019 ele foi realizado, com direito a um alto investimento do Bahia e recepção com festa por uma multidão no aeroporto. Em campo, o retorno técnico ainda não aconteceu.

Desde que voltou, o centroavante esteve em campo em 59 partidas e marcou 15 gols, com raros momentos de brilho. Consciente de que precisa dar a volta por cima, Fernandão aproveitou a parada forçada nos campeonatos por causa da pandemia do novo coronavírus para perder peso e impressionou pela condição física.

Na retomada, ele já anotou dois gols em três jogos, mas o próprio atacante reconheceu que o rendimento, mais uma vez, esteve abaixo do esperado. "Feliz pelo gol, poder ajudar a equipe, mas triste pela minha atuação, poderia ser melhor, paciência”, analisou no dia da goleada por 4x1 contra o Náutico, na última rodada da fase de grupos. Também deixou o dele contra o Botafogo-PB, pelas quartas de final.

Hoje, Fernandão terá mais uma chance para provar que merece o carinho recebido da torcida e dar um passo importante para, segundo o critério adotado por ele mesmo, se tornar um ídolo do Bahia de verdade.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas