Flávio superou concorrência e se firmou na titularidade do Bahia

e.c. bahia
18.03.2020, 12:00:00
Com 88 jogos, Bahia já é o time por onde Flávio mais jogou durante a carreira (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Flávio superou concorrência e se firmou na titularidade do Bahia

Volante esteve entre os 11 iniciais em todas as partidas do time principal em 2020

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Aos 24 anos, Flávio chega a sua terceira temporada no Bahia - que o contratou em 2018 teoricamente para reforçar o time sub-23. Na prática, o camisa 5 nunca esteve por lá. Quebrou o galho em uma lateral direita ali, foi capitão de time B acolá, até que no ano passado o volante Elton sofreu lesão séria quase ao mesmo tempo que Douglas Augusto foi vendido. As portas se abriram e Flávio tomou conta da posição.

Um número que deixa claro a forma como Flávio assumiu a titularidade do time é o de partidas que ele fez. Se em 2018 foram 27 jogos, no ano seguinte isso quase dobrou e chegou a 51. Neste ano, já são 10 partidas: se teve time principal em campo, teve Flávio. Titular em todas ao lado de Gregore no meio-campo.

Ao todo, o volante tem 88 partidas com a camisa do tricolor. Já é o time que o volante revelado pelo Vitória mais defendeu na carreira. Pelo rubro-negro, foram 64. Como profissional, ele também teve breves passagens por Ferroviária e Santo André, ambos de São Paulo.

Outros sete jogadores entram nessa mesma lista de Flávio no quesito assiduidade. João Pedro, Juninho, Juninho Capixaba, Gregore, Élber, Clayson e Gilberto foram titulares em todos os 10 jogos do time principal do Bahia no ano. Gregore sairá dessa relação porque cumprirá suspensão contra o Náutico, em confronto que está sem data definida por causa da suspensão da Copa do Nordeste, em função da pandemia do coronavírus Covid-19.

Flávio é um jogador da confiança de Roger. Prova disso é que o treinador não poupa elogios para seu volante. Na entrevista após a vitória de 2x0 contra o América-RN pela Copa do Nordeste, Roger declarou que Flávio não costuma aparecer para a torcida, mas poderia ser eleito o melhor em campo.

"Por vezes, quem não tem brilho do jogo para o torcedor, mas taticamente e tecnicamente conduz e dá a direção do jogo, costumo dizer que o nome volante é porque ele que dá direcionamento do time (...). Fávio foi um destaque porque, além de organizar, faz pressão e entra no campo de ataque para que a gente jogue. Impressionante a evolução do ano passado para cá", disse Roger.

Por sua vez, Flávio exaltou a classificação antecipada conquistada no último jogo antes da paralisação do campeonato. "Classificação muito importante. A gente sabia que tinha que entrar focado e concentrado por se tratar de um jogo sem torcida e por valer a classificação antecipada, e foi isso que fizemos", avaliou.

Foi uma das últimas atividades dele e de todo o elenco tricolor. Com a interrupção da Copa do Brasil, e também do Campeonato Baiano e das competições organizadas por CBF e Conmebol, a diretoria do Bahia liberou todos os jogadores e funcionários das atividades até o dia 30 de março.

*com supervisão do editor Herbem Gramacho

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas