Forte explosão atinge Beirute, capital do Líbano; assista vídeos

mundo
04.08.2020, 13:06:52
Atualizado: 04.08.2020, 16:28:49
(AFP)

Forte explosão atinge Beirute, capital do Líbano; assista vídeos

Ministro da Saúde do país afirmou que há um grande número de feridos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma forte explosão ocorreu na capital do Líbano, Beirute, na tarde desta terça-feira, 4. As causas da explosão, cujos vídeos têm sido replicados nas redes sociais, ainda não estão claras. O governo já contabiliza mais de 25 mortos e 3 mil feridos.

A Cruz Vermelha afirma que há centenas de vítimas, entre mortos e feridos. Parte foi levada a hospitais, mas ainda há muita gente presa em escombros dentro de suas casas. Barcos estão resgatando pessoas que foram jogadas ao mar.

Nas redes sociais, moradores da capital relatam que janelas de edifícios e casas no entorno do local da explosão estilhaçaram.

Algumas emissoras de TV do Líbano afirmam que a explosão ocorreu no porto de Beirute, dentro de uma área onde fogos de artifício eram armazenados.

Hamad Hasan, o ministro da Saúde do país asiático, afirmou a uma rede de TV que há um "alto número de feridos" e que os danos são grandes. Pelo menos um hospital ficou sobrecarregado com a procura e precisou encaminhar feridos para outros lugares, segundo o The New York Times.

(Fotos da AFP)
(Fotos da AFP)
(Fotos da AFP)

A primeira explosão gerou uma grande nuvem de fumaças e luzes que lembravam fogos de artífício. A segunda foi muito maior, criando uma gigantesca nuvem laranja de fumaça, que espalhou poeira por toda região. Vídeos de depois das duas explosões mostram carros abandonados nas ruas e muita sujeira. Em pontos com menos fumaça, era possível ver incêndios.

Marwan Abboud, o governador de Beirute, chegou ao local da explosão por volta das 15h20 (horário de Brasília), onde caiu em prantos enquanto conversava com repórteres.

Ele disse a um jornalista libanês que estava lá para procurar bombeiros que estavam no local combatendo o incêndio que ocorreu antes da explosão.

"Eles vieram combater o fogo e depois desapareceram", diz ele. "Nós não sabemos onde eles estão. Estamos aqui para procurá-los.

"Isso me lembra o que aconteceu no Japão, com Hiroshima e Nagasaki", diz ele. "Eu nunca vi danos desse tamanho e largura, e tão catastróficos. Esta é uma catástrofe nacional. Isso é um problema para o Líbano, e não sabemos como vamos sair disso. "Isso é muito", diz ele. "É muita coisa ao mesmo tempo para as pessoas ...".

A Marinha do Brasil possui uma embarcação no litoral do Líbano, mas que estava distante da capital Beirute. Segundo informou a própria Marinha, a fragata independência está operando normalmente no mar, "distante do local da explosão".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas