'Fui tirar sarro e me dei mal', diz Marcio Garcia sobre beijo em Bolsonaro

em alta
25.09.2021, 09:30:00
(Reprodução)

'Fui tirar sarro e me dei mal', diz Marcio Garcia sobre beijo em Bolsonaro

Apresentador diz que torce pelo país e não se considera de esquerda nem direita

O apresentador Marcio Garcia falou sobre um vídeo em que aparece dando um beijo no presidente Jair Bolsonaro (sem partido). No Conversa com Bial, ele não deixou claro se votou em Bolsonaro. "Fui tirar um sarro com ele e me dei mal", diz.

Durante a conversa, Pedro Bial quis saber como Marcio vê o governo de Bolsonaro."Eu sou aquele cara assim... Eu sempre procuro ver o melhor de cada um, eu falo isso para os meus filhos: até a pessoa que é presa de fato, enjaulada, encarcerada, eu acho que todo mundo merece ser ouvido. Odeio julgar, quem dirá condenar", disse o apresentador em resposta.

Foi nesse momento que ele falou do vídeo com o beijo, que viralizou no ano passado. "Tem uma história minha que muita gente deve ter visto, eu posso falar abertamente, um beijo que eu dei no Bolsonaro. Isso foi um evento", lembrou.

Ele diz que a cena era uma brincadeira. "Fui fazer uma brincadeira com ele por causa da homofobia. Ele pediu uma foto, e eu falei: 'Só se for beijando, mas não vai se apaixonar que eu já sou casado'. Fui tirar um sarro com ele e eu me dei mal porque o que ficou registrado foi a cena do beijo", lamentou. 

Depois, Marcio falou que não tem "político de estimação"."Já me aproximei de outros políticos, que eu até defendi em algum momento. O que fica dessa história? Eu não tenho politico de estimação e jamais terei", disse, afirmando que jamais vai defender cegamente algum político, mesmo que o tenha apoiado.

Disse ainda que sempre vai "torcer" para o Brasil. "E eu sempre vou torcer, porque eu moro aqui. Já pensei em me mudar do Brasil, sim. Não quero me mudar do país e torço pra dar certo", garantiu.

O apresentador afirmou que a polarização não é boa para o país e disse que tanto esquerda quanto direita têm lados bons e ruins. "Eu acho que os dois, falando aqui abertamente, direita e esquerda... Não sou de direita, mas também não sou de esquerda. Eu posso estar mais tendencioso pra um lado. Os dois lados têm o lado bom e o lado ruim".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas