Geninho explica trocas no time e lamenta resultado do Vitória

e.c. vitória
16.02.2020, 21:56:00
Atualizado: 16.02.2020, 21:57:52
Rafael Carioca foi uma das mudanças: tomou vaga de Carleto (Tiago Caldas / CORREIO)

Geninho explica trocas no time e lamenta resultado do Vitória

Segundo técnico, objetivo foi observar todos os atletas do elenco

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Geninho surpreendeu a todos neste domingo (16) ao mandar a campo um time titular do Vitória com quatro mudanças para enfrentar o Freipaulistano, pela 4ª rodada da Copa do Nordeste. Acabou empatando em 0x0, no Barradão.

>> Veja todas as notícias do Vitória publicadas no CORREIO
>> Vitória para no goleiro e fica no empate com o Freipaulistano
>> Confira os melhores momentos de Vitória 0x0 Freipaulistano
>> Bocão aproveita chance no Vitória e lança dúvida para Geninho

As mudanças foram em relação à equipe que empatou em 0x0 com o Imperatriz na última terça-feira (11), pela Copa do Brasil. Saíram o lateral direito Van, o lateral esquerdo Thiago Carleto, o volante Gerson Magrão e o atacante Júnior Viçosa.

Entraram nestas vagas, respectivamente: Van, Rafael Carioca, Rodrigo Andrade e Rodrigo Carioca. Com essas mudanças, Léo Ceará saiu da ponta esquerda e atuou na sua posição de origem, como centroavante.

Em coletiva após a partida, o técnico Geninho explicou as trocas: “A ideia era ‘ler’ alguns jogadores que tínhamos no grupo e o que eles poderiam me dar em termos de opções no elenco. Para poder saber como utilizá-los daqui para frente, sabe?”.

“Uma hora a gente teria que fazer isso. Quando se tem jogos seguidos, como tem sido nesse período, você não tem nem tempo de treinar. E aí acaba sem ver esses jogadores, seja em treino, seja em campo. E a melhor maneira de ver o que eles te oferecem é no jogo, colocando eles em campo desde o início”, completou o comandante rubro-negro.

Segundo ele, portanto, o objetivo não foi poupar os jogadores: “O Carleto até teve dores durante a semana, mas se recuperou, tanto que entrou em campo hoje. Van também estava em condições. Então não teve questão de descanso, foi uma questão de observar todos, realmente”, finalizou.

Geninho lamentou que o resultado não tenha sido melhor: "Não foi nosso melhor jogo, mas não dá para dizer que tenha sido um jogo ruim. Sobretudo o segundo tempo, ali a gente não foi mal. No primeiro tempo, realmente, o time não foi bem. Acho que o time tentou jogar. Tentou de um lado, tentou de outro, tentou pelo meio... Tentamos de tudo para furar o bloqueio".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas