Globoplay produz série documental sobre trajetória de Walter Casagrande

entretenimento
14.06.2021, 17:14:12
Atualizado: 14.06.2021, 17:26:53
O ex-jogagor Walter Casagrande (divulgação)

Globoplay produz série documental sobre trajetória de Walter Casagrande

Ex-jogador, que já lançou dois livros autobiográficos, hoje atua como comentarista esportivo

A Globoplay está produzindo uma série documental com quatro episódios sobre a história do ex-jogdor e atual comentarista esportivo Walter Casagrande. Com direção de Susanna Lira, o projeto teria o título de Big Num Jogo Sem Regas, mas, para não ter conflito com a busca pelo Big Brother Brasil na plataforma, a direção deve alterar o nome. A informação é da colunista Patrícia Kogut.

Algumas personalidades darão seus depoimentos no documentário, como Serginho Groisman, Nasi (do Ira), Paulo Miklos, Galvão Bueno, Cléber Machado, Baby do Brasil, entre outros. A diretora revelou que serão respeitados todos os protocolos de segurança para as gravações. “Vamos usar necessários protocolos de segurança, testando os entrevistados e com equipe super-reduzida. E sempre de acordo com os protocolos do Sindcine”, destacou. Cabe lembrar que esse projeto não tem relação com o filme Casagrande e Seus Demônios, que está engavetado há anos.

Revelado no Corinthians, Casagrande iniciou sua carreira em 1980 e encerrou sua fama nos gramados em 1996, no São Francisco. Encerrada a carreira de jogador, ele se tornou comentarista, passando primeiramente pela ESPN, até se firmar como um dos principais comentaristas da Globo.

Em algumas entrevistas, inclusive com Jô Soares, o famoso já confessou ter consumido todos os tipos de drogas, assumindo uma vida desregrada enquanto futebolista profissional.

Além de comentar jogos, também lançou dois livros com parceira do jornalista Gilvan Ribeiro (Casagrande e Seus Demônios (2013) e Sócrates e Casagrande – Uma História de Amor (2016)).

Um dos momentos críticos da sua carreira foi quando o ex-jogador sofreu um grave acidente de carro e ficou internado no Hospital Albert Einstein, em 2007. Após o acidente, Casagrande chegou a ficar em coma por 24 horas, mas recuperou-se rapidamente, recebeu alta e, alguns dias depois, foi internado em uma clínica para dependentes de drogas, por conta da sua dependência em heroína e cocaína.
Sobre a série, ainda não há previsão de quando irá ao ar, mas a intenção é todos esses detalhes sejam incluídos e detalhados por pessoas importantes da vida do esportista.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas