Governo confirma 4 milhões de vacinas do consórcio internacional em maio

brasil
17.04.2021, 11:06:00
Atualizado: 17.04.2021, 11:08:38
(Foto: Arisson Marinho/Arquivo CORREIO)

Governo confirma 4 milhões de vacinas do consórcio internacional em maio

O lote envolve o imunizante produzido pela AstraZeneca com a Universidade de Oxford

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O governo brasileiro confirmou neste sábado a comunicação feita por representantes do consórcio internacional de vacinas Covax Facility sobre a disponibilização de 4 milhões de doses ao País em maio. O lote envolve o imunizante produzido pela AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.

Em nota conjunta, os ministérios da Saúde e das Relações Exteriores informam que o Brasil já recebeu em março 1 milhão de doses da mesma fabricante por meio do Covax Facility. O consórcio internacional tem participação brasileira e busca ampliar o acesso à vacina a países com menos recursos.

A informação sobre o novo lote a ser direcionado ao País via cooperação internacional havia sido repassada aos governadores ontem por uma representante da Organização das Nações Unidas (ONU) em fórum com os representantes estaduais para discutir a pandemia no Brasil.

Pelas redes sociais, o governador de São Paulo, João Doria, afirmou ter sido informado no encontro de um repasse de 4 milhões de doses até o final de abril e mais 4 milhões de doses até o final de maio.

"Fizemos um apelo para uma ajuda humanitária ao Brasil", afirmou, pelo Twitter, Welligton Dias, governador do Piauí, ao comentar a reunião com a representante da ONU. "A OMS reconheceu que estava no seu cronograma e que vai antecipar o envio de 4 milhões de doses e que vai tratar com Índia, Coreia, Espanha Itália, China e quem tiver condições de ajudar."

Os representantes estaduais aproveitaram o encontro para reforçar a importância de uma cooperação internacional para obtenção da vacina, além de remédios e itens necessários para intubação de pacientes com covid-19.

O Brasil vive uma das piores fases da pandemia, com uma média semanal de mortes próxima de 3.000 vítimas, em meio ao colapso hospitalar em diversas regiões do País e da falta de medicamentos e insumos. A covid-19 já infectou cerca de 14 milhões de pessoas no Brasil e provocou quase 370 mil mortes desde o início da crise sanitária. O número de vacinados com ao menos uma dose da vacina chegou ontem a 25.777.943 de brasileiros, o equivalente a 12,17% da população total.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas