Grife americana vende esta calça jeans por cerca de R$ 600

bazar
04.05.2018, 10:03:54

Grife americana vende esta calça jeans por cerca de R$ 600

Se você quiser saber como é a sensação de vestir uma calça jeans assim para se sentir quase sem nada, é bom juntar uma grana...

Uma peça, no mínimo, ousada. É como se tivessem pegado uma tesoura e matido apenas as bordas da calça jeans, cortando fora todas as partes 'do meio'. Assim é a peça da grife estadunidense Carmar, de Los Angeles, na Califórnia, que está cauando espanto no Instagram.

Cadastre seu e-mail e receba novidades de gastronomia, turismo, moda, beleza, tecnologia, bem-estar, pets, decoração e as melhores coisas de Salvador e da Bahia:

Já para a marca, trata-se apenas de uma calça jeans com “cortes extremos”. Embora o comprimento vá até os  tornozelos, fica meio difícil dizer que trata-se de uma calça.

A calça vista de frente (Fotos: Divulgação)

Também não é bem um short, já que a parte de trás mais parece uma calcinha fio dental. E sim, ela está à venda na vitrine da Carmar.

Siga o Bazar nas redes sociais e saiba das novidades de gastronomia, turismo, moda, beleza, decoração e pets:

Sobre a modelagem, a grife a descreve como uma calça de cintura alta e modelo folgado, com cortes extremos e sem stretch. E, repare, ela tem bolsos até bem grandes. Dá para você levar celular, carteira e mais um bocado de coisa.

A calça vista de costas

Quem quiser experimentar a sensação de usar um jeans que faz sentir quase sem roupa vai precisar coçar o bolso. A peça custa 168 dólares, cerca de R$ 600 reais pela cotação atual do dólar.

E aí, você compraria uma?

A calça de ladinho (Foto: Reprodução/Instagram)


***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas