'Há frustração pelo que o Bahia vislumbrou', admite Vitor Ferraz

e.c. bahia
08.12.2019, 19:12:00
Atualizado: 10.12.2019, 00:28:21
Gilberto em lance com jogador do Fortaleza (JL Rosa/Estadão Conteúdo)

'Há frustração pelo que o Bahia vislumbrou', admite Vitor Ferraz

Vice-presidente do Esquadrão lamenta queda de rendimento e fala de possível saída de Diego Cerri

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Bahia fechou a Série A 2019 de uma maneira não desejada: com uma derrota. Perdeu para o Fortaleza no Castelão, neste domingo (8), por 2x1 e desperdiçou a chance de bater suas melhores campanhas de pontuação e de posição na era dos pontos corridos. Ao longo do campeonato, o Esquadrão também se viu brigando por uma vaga na Libertadores 2020, mas caiu de rendimento e acabou se contentando com a ida para a Copa Sul-Americana.

Diante de tantos "quases", o vice-presidente do clube admitiu que o gosto ficou um pouco amargo. "Há a frustração pelo que o Bahia vislumbrou que poderia alcançar", disse Vitor Ferraz, em entrevista à Rádio Metrópole. O dirigente, porém, fez questão de ressaltar pontos positivos da equipe. "Fazendo uma análise dos últimos anos, foi a atuação mais segura que tivemos. Não afasta a frustração, mas a pior posição, ao longo do campeonato, foi 12º. Não se falou em rebaixamento. Mostra que o time vem em uma evolução contínua, gradativa".

Após empolgar o torcedor com uma possível classificação para a Copa Libertadores, o Bahia chegou a amargar nove jogos sem triunfos e, aos poucos, foi saindo da briga. No fim, concluiu a Série A 2019 no mesmo 11° lugar de 2018 e com um ponto a menos que os 50 registrados em 2017.

Para Ferraz, não há uma explicação concreta para a queda do rendimento. "Eu acho que não existe um fator que possa indicar os resultados que não foram esperados. Há uma quantidade excessiva de jogos, a temporada é curta - o Campeonato Baiano começa dia 15 janeiro, há menos de 30 dias de férias aos atletas, que já se reapresentam no dia 6 de janeiro. A partir do momento em que vieram os resultados frustrantes, com a oscilação, o grupo sentiu o psicológico e dificultou na retomada do caminho. Estamos analisando, compreendendo, para tomar uma ação, superar isso e conseguir bons resultados", falou.

O vice-presidente projeta taças no ano que vem. "Na Copa do Nordeste, o Bahia tem a obrigação de lutar pelo título. E tem obrigação de fazer uma Sul-Americana melhor que este ano, continuar o processo de evolução". Na Sula de 2019, o Bahia caiu na primeira fase, eliminado pelo Liverpool do Uruguai após perder em casa por 1x0 e empatar fora em 0x0.

Sobre Diego Cerri, nome cotado para assumir a direção de futebol do Palmeiras, Ferraz afirmou que a saída ainda não é certa. "Até o momento, ele segue. Qualquer informação é muito na base da especulação. Preferimos aguardar o desfecho. Sabemos que (com) um convite para o Palmeiras qualquer um se sentiria lisonjeado, balança, mas aguardamos a posição. O diálogo com Diego é franco. Vamos aguardar para ver e agir de acordo".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas