Homem é morto após ser exibido como suspeito de crime no Cidade Alerta

brasil
15.07.2020, 11:30:00
Atualizado: 15.07.2020, 11:42:23

Homem é morto após ser exibido como suspeito de crime no Cidade Alerta

Filho dele afirmou que após a matéria homens foram até sua casa e levaram o pai

Um homem foi morto a tiros horas depois de ser exibido em uma reportagem co Cidade Alerta, da Record, como suspeito de um crime, de acordo com a coluna de Maurício Stycer, do Uol. Sete horas após a transmissão do caso na TV,  Alecio Ferreira Dias, 41 anos, foi morto por várias pessoas na cidade de Salto, em São Paulo. Moradores ouviram pelo menos sete tiros e ele tinha perfurações no rosto, tórax e perna.

Na segunda (13), o Cidade Alerta mostrou matéria sobre o assassinato de Priscila Martins, aos 18 anos. O apresentador Luiz Bacci afirma em determinado momento que a polícia já tinha um suspeito, que ainda não havia sido preso. A foto dele foi exibida com o rosto borrado.

"Ainda não temos autorização para mostrar sem esse borrão. Mas quem conhece esse homem já passa informações para a polícia. Quem é amigo desse homem sabe quem é", afirmou Bacci. Ele pediu que as pessoas não fizessem "justiça com as próprias mãos", lembrando que o suspeito ainda era investigado.

"Sabe alguma coisa dele? Sabe onde mora? Não tome você alguma medida já procurando ele direto. Não se arrisque. Conte para a polícia", pediu o apresentador.

No boletim de ocorrência, o filho de Alécio contou que depois que a matéria foi ao ar, alguns moradores da comunidade em que eles viviam, e de outros lugares, foram até sua casa e chamaram seu pai para conversar. Ele foi então levado para um "local desconhecido" - o corpo foi achado em área de matagal no bairro Jardim Santa Cruz. Horas depois, os próprios criminosos divulgaram fotos do corpo de Alécio em redes sociais e mensageiros. 

Em nota, a Record afirma que "entre amigos, familiares, testemunhas e moradores da região de Salto, todos já sabiam quem era" o suspeito. Destaca ainda que foi feito um apelo para que "ninguém tentasse fazer justiça com as próprias mãos".

Investigação
Alécio teria sido a última pessoa a ser visto com Priscila Martins, que está oficialmente desaparecida, segundo informação repassada à Polícia Civil, diz o G1. Um corpo encontrado carbonizado em outra área de mata da cidade pode ser da jovem, mas ainda não foi identificado. Pertences semelhantes ao da jovem foram encontrados no local.

Priscila desapareceu no último dia 6 (Foto: Reprodução)

A mãe dela fará coleta de material genético para realização de um exame de DNA no corpo, que está no Instituto Médico Legal (IML).

Priscila saiu de casa por volta das 18h30 da segunda-feira (6) e não voltou mais. O celular dela foi deixado em casa e foi entregue para perícia da polícia.

Leia na íntegra a nota da Record:

"O 'Cidade Alerta' tinha as informações sobre o nome e a foto do suspeito. Entre amigos, familiares, testemunhas e moradores da região de Salto, todos já sabiam quem era. Inclusive a investigação aponta que a pessoa era conhecida de Priscila Martins, que foi encontrada morta depois de ser torturada e o corpo queimado. O mesmo suspeito é apontado como envolvido em outros crimes. Diante da revolta que a informação causou na região, o 'Cidade Alerta' decidiu não identificar o suspeito e fez um apelo para quem soubesse o paradeiro do investigado que informasse a polícia e que ninguém tentasse fazer justiça com as próprias mãos."
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas