Homem ejacula em passageira de ônibus e acaba preso em Salvador

salvador
25.01.2020, 22:45:00
Atualizado: 27.01.2020, 18:17:22

Homem ejacula em passageira de ônibus e acaba preso em Salvador

Mulher foi socorrida da tentativa de estupro por guardas municipais

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Um homem foi detido pela Guarda Civil Municipal acusado de praticar ato libidinoso no ônibus da empresa Integra Plataforma, Linha Paripe/Rodoviária. A vítima foi uma passageira que, além de se encontrar nervosa com a tentativa de estupro, estava com suas roupas sujas.

Segundo a assessoria da Guarda Civil Municipal, o denunciado ejaculou na hora do ataque, sujando as roupas da vítima.

O incidente ocorreu no final da tarde dessa sexta-feira (24), quando uma equipe do Grupamento de Operações Especiais da Guarda Civil Municipal (GCM) foi acionada por populares e usuários do transporte coletivo Integra, quando saíam da base do órgão, na Avenida San Martin.

O agressor acabou detido pelos agentes da GCM, impedindo também que ele fosse linchado. Em seguida, vítima e agressor foram encaminhadas para a Central de Flagrantes, na Avenida ACM, onde prestaram depoimento.

Milton Ferreira dos Santos, 49 anos, acusado do ataque sexual, passou por audiência de custódia e foi liberado após pagar fiança. Ele passará a responder ao processo por importunação sexual em liberdade.

Relatos do ataque
Nesta segunda-feira (27), a vítima do ataque sexual, que preferiu não se identificar, relembrou os momentos de pânico que viveu em entrevista à repórter Andrea Silva, da TV Bahia. A jovem contou que está traumatizada e com receio de pegar ônibus novamente. “Vou conviver com esse medo constante. Ao pegar ônibus, toda vez que eu saio do trabalho, ou lembrar o que aconteceu e que ele tá solto, podendo fazer outra vítima até pior", afirmou ela, ao saber que o agressor foi liberado pela Justiça.

“Para mim, não está sendo feita a justiça. Uma pessoa que pratica um ato desse e é liberada. Eu me sinto muito insegura em pegar o ônibus outra vez e encontrar ele. É terrível", comentou a vítima.

Ao relembrar o incidente, ela contou que o agressor não ficou intimidado de cometer o crime, mesmo com veículo lotado. 

“Eu estava em pé, não tinha lugar para sentar porque o ônibus estava muito cheio. Eu senti algo encostando em mim e eu virei para ver o que realmente estava acontecendo. Foi quando eu vi o que tinha acontecido. Na hora eu chamei atenção dele, perguntei o que ele tinha feito. Não vi motivo para ele fazer esse ato", comentou ela.

Diante da situação, outros passageiros resolveram ajudar. “Quando eu chamei atenção dele, os passageiros me ajudaram. Eu passei a mão na minha roupa e senti que estava suja. O pessoal começou a ligar para a polícia e pegar ele para linchar, mas eu preferi entregar ele à polícia”, complementou.

À TV Bahia, o delegado Roberto César Nunes, coordenador adjunto da Central de Flagrantes, o acusado alegou que “já é viúvo há algum tempo” e que “o ônibus estava cheio e que ele se encostou nas costas da vítima e quando ele percebeu ele já tinha ejaculado”. 

Volta à rotina
No retorno à rotina diária de pegar ônibus em Salvador, a vítima de tentativa de estupro contou que está longe de se recuperar do trauma. 

“Está sendo muito difícil. Nunca imaginei que acontecesse isso comigo. Todo mundo que se encostava perto de mim eu me assustava, achava que era ele. Muito tenso. O que eu passei, não desejo a ninguém. É muito constrangedor. Foi terrível”, concluiu.

Milton Ferreira dos Santos foi enquadrado no artigo 215-A, que prevê punição a quem “pratica contra alguém e sem a sua anuência ato libidinoso com o objetivo de satisfazer a própria lascívia ou a de terceiro”, previsto na Lei nº 13.718, de 2018. Caso seja condenado, ele pode pegar até cinco anos de reclusão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas