Homem Pateta: pais de jovem dono de um dos perfis 'ficaram assustados'

em alta
17.07.2020, 19:01:00
Atualizado: 17.07.2020, 19:28:31
(Reprodução)

Homem Pateta: pais de jovem dono de um dos perfis 'ficaram assustados'

Segundo delegado, adolescente disse que fez 'uma brincadeira'

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O adolescente de 12 anos que é apontado como criador de um perfil do Homem Pateta, que propõe desafios a crianças ligados a suicídio e automutilação, disse que tudo era "uma brincadeira". Uma operação de busca e apreensão foi realizada na casa do adolescente, morador de Sorocaba, no interior de São Paulo, na última sexta-feira (10). 

"Em um primeiro momento, ele negou o envolvimento, mas depois viu que tínhamos provas e admitiu que tinha feito uma brincadeira", disse o delegado Rodrigo Ayres, da Delegacia Seccional de Sorocaba, em entrevista ao UOL.

De acordo com ele, os pais do jovem afirmaram que não notaram comportamento diferente do filho e que não imaginavam o que estava acontecendo. Ainda de acordo com os responsáveis pelo garoto, ele passava bastante tempo em frente à tela do celular, mas, levando em consideração a pandemia de covid-19, eles não se preocuparam.

Segundo Ayres, nas últimas semanas, foram recebidos ao menos seis boletins de ocorrência que registravam relatos de perfis com o nome Jonathan Galindo e a foto de um homem vestido como o personagem da Disney.

"Ele disse que foi influenciado por um canal no YouTube que falava sobre o Homem Pateta e quis pregar uma peça. Os pais dele ficaram assustados com a situação", comentou o delegado.

Os policiais de Sorocaba chegaram até o jovem após rastrearem seu celular, que enviou mensagens para outras pessoas com idades entre 12 e 14 anos. Ele foi atrás de colegas com que não tinha muita intimidade, mas que sabia onde moravam e onde estudavam. 

Segundo o UOL, o menino se passou pelo Homem Pateta e começou a assustar os colegas, fazendo menções como "eu sei onde você mora" e "sei em qual escola você estuda". O celular do jovem foi apreendido e será periciado

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas