Homem que atacou motoboy negro em 2020 comete novo ato racista; vídeo

em alta
10.04.2021, 12:46:28
Atualizado: 10.04.2021, 13:05:46
(Foto: Reprodução)

Homem que atacou motoboy negro em 2020 comete novo ato racista; vídeo

Contabilista apontou para a própria pele e disse que era 'nórdico'

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Mateus Abreu Almeida Prado Couto, que em julho de 2020 atacou e xingou o motoboy negro Matheus Pires, voltou a ser gravado praticando racismo. Em vídeo que circula nas redes sociais, ele aparece atacando funcionários de um mercado em Campinas (São Paulo).

Nas imagens, é possível ver Mateus na calçada em frente ao estabelecimento. Sem máscara, ele ofende vendedores e se diz superior por ser 'nórdico' - referência à região da Europa conhecida por ter pessoas brancas.

Em entrevista ao portal UOL, Diego Brasa, filho dos proprietários do mercado, relatou que o homem havia ido até o local na manhã de sexta e se irritado com os funcionários por ter sido impedido de entrar no estabelecimento sem máscara.

“Por estar sem a proteção, o funcionário não deixou que ele entrasse no mercado, nisso ele já ficou bem irritado e fez alguns xingamentos. Depois colocou uma camiseta cobrindo o nariz e a boca, entrou, fez a compra dele e foi embora. Nesse momento ele já estava bastante exaltado”, afirmou.

Horas depois, por volta das 13h, o contabilista teria voltado ao local ainda mais exaltado e feito as ofensas. “Ele dizia que atendíamos muitos clientes negros e que nós roubávamos os clientes. Além de fazer menção a questão de ele ser branco. Ele estava muito descontrolado e ficou cerca de 30 minutos em frente ao mercado nos xingando”, acrescentou Diego.

A Guarda Civil Municipal e o Samu (Serviço Móvel de Atendimento de Urgência) foram chamados. Após quase três horas, o agressor aceitou passar por atendimento médico e foi encaminhado pela GCM para o Hospital de Clínicas da Unicamp. De acordo com a GCM, o pai do suspeito foi chamado e acompanhou o filho até a unidade de saúde.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas