IBGE: prognóstico para safra de grãos 2018 prevê alta algodão, feijão e milho da Bahia 

bahia
12.12.2017, 11:00:59

IBGE: prognóstico para safra de grãos 2018 prevê alta algodão, feijão e milho da Bahia 

Com aumento de quase 10% (9,8%) na produção baiana, safra nacional de algodão deve ser 4,5% maior em 2018

O segundo prognóstico para a safra nacional de cereais, leguminosas e grãos em 2018 prevê uma produção de 219,5 milhões de toneladas, 9,2% menor que a de 2017, estimada em 241,9 milhões de toneladas.

A queda no próximo ano deverá ocorrer, sobretudo, em razão das reduções previstas, em nível nacional, para o milho (-15,9 milhões de toneladas ou -15,9%) e para a soja (-6,8 milhões de toneladas ou -5,9%). Por outro lado, são esperadas altas na produção de algodão herbáceo (+4,5% ou +200 mil toneladas) e de feijão em grão (+4,1% ou +100 mil toneladas) em 2018.

Embora não haja prognóstico consolidado da safra de grãos por estado, os dados disponíveis até o momento indicam algumas contribuições positivas da Bahia para 2018, no que diz respeito a produtos agrícolas importantes, como algodão (safra 2018 9,8% maior que a 2017), feijão (1ª safra 2018 21,7% maior que a de 2017) e milho (1ª safra 2018 5,1% maior que a de 2017).

Com aumento de quase 10% (9,8%) na produção baiana, safra nacional de algodão deve ser 4,5% maior em 2018

O segundo prognóstico para 2018 da produção nacional de algodão é de 4 milhões de toneladas, 4,5% maior que a safra 2017 (cerca de 3,8 milhões de toneladas) e 6,2% maior que o previsto em outubro.

A área plantada e a área a ser colhida aumentaram em 3,7%, e o rendimento médio aumentou 2,4%, sempre em relação ao primeiro prognóstico (de outubro). Ao todo, devem ser plantados, em 2018, pouco mais de 1 milhão de hectares de algodão no país.

O aumento no prognóstico da safra 2018 de algodão reflete principalmente o desempenho das lavouras na Bahia, segundo maior produtor nacional e que deve participar com 22,8% do total a ser colhido no próximo ano.
Com melhores expectativas quanto ao clima, o estado deve ter uma safra de algodão de 914,8 mil toneladas em 2018, uma previsão 31,8% maior do que a de outubro e quase 10,0% (9,8%) superior à produção de 2017, estimada em 833.490 toneladas.

De outubro para novembro, a estimativa da área plantada e da área a ser colhida com algodão na Bahia, no próximo ano, apresentou aumento de 16,8%, e o rendimento médio foi revisto para 3.837 kg/ha (+12,8%).

Em Mato Grosso, maior produtor de algodão do país, a estimativa da produção para 2018 alcança 2,7 milhões de toneladas, representando 66,3% do total e com crescimento de 4,5% em relação à estimativa de 2017.

Com previsão de 1ª safra 21,7% maior que a de 2017, Bahia contribui para aumento de 4,1% na produção nacional de feijão em 2018

O segundo prognóstico para a produção brasileira de feijão em 2018 é de 3,4 milhões de toneladas, 4,1% maior que a de 2017 (3,3 milhões de toneladas). A 1ª safra deve produzir 1,7 milhão de toneladas; a 2ª safra, 1,3 milhão de toneladas; e a 3ª safra, 520 mil toneladas.

Os maiores aumentos de produção, em termos percentuais, para esta 1ª safra (de verão), estão sendo informados por Ceará (62,2%), Rio Grande do Norte (78,2%), Paraíba (82,3%), Bahia (21,7%) e Minas Gerais (11,2%). Em termos de volume de produção, destacam-se o Ceará (84,6 mil toneladas), Bahia (30,6 mil toneladas), Paraná (11,5 mil toneladas) e Paraíba (12,3 mil toneladas).

Em relação ao 1º prognóstico para a safra 2018, houve aumento de 4,6% nas estimativas de produção do feijão 1ª safra, com crescimento de 2,2% na área a ser colhida e de 2,4% no rendimento médio.

Há expectativas de ganhos de produtividades na Paraíba (+134,1%), na Bahia (+18,6%), no Rio Grande do Norte (+17,6%), em Rondônia (+11,5%), em Minas Gerais (+4,7%) e no Mato Grosso do Sul (+12,1%).

Apesar de revisão para baixo entre outubro e novembro, 1ª safra de milho na Bahia deve ser 5,1% maior em 2018

O segundo prognóstico para o milho em grão estima uma produção nacional de 83,7 milhões de toneladas em 2018, 15,9% menor que a safra recorde de 2017 (99,6 milhões de toneladas).

Os prognósticos de campo em novembro representam a quase totalidade da estimativa da 1ª safra de milho em 2018, que deve alcançar 25,8 milhões de toneladas (17,0% menor que a de 2017). Quando comparada com o 1º prognóstico, a queda na estimativa de produção foi de 1,2%, devido principalmente revisões para baixo nas previsões para a Bahia (-15,1%) e Minas Gerais (-9,9%).

Ainda assim, no estado, o segundo prognóstico indica uma 1ª safra de milho em 2018 5,1% maior que a de 2017, chegando a cerca de 1,6 milhão de tonelada.

Mesmo 8,2% menor que a safra de 2017, prognóstico para a produção baiana de soja em 2018 é revisto para cima (+12,6%)

A segunda estimativa de produção brasileira de soja para 2018 totalizou 108,1 milhões de toneladas, redução de 5,9% em relação à safra recorde de 2017, estimada em cerca de 115 milhões de toneladas.

A retração é prevista principalmente em razão da queda de 6,6% estimada para o rendimento médio da cultura, que deve ir a 3.170 kg/ha em 2018, em decorrência das incertezas quanto ao clima.

Na Bahia, sétimo produtor de soja do país, o prognóstico em novembro é que a safra 2018 seja 8,2% menor que a estimada para 2017 (de cerca de 5,1 milhões de toneladas). Entretanto, houve uma revisão para cima (de +12,6%) em relação ao primeiro prognóstico, determinante para uma leve variação positiva (de +0,4%), entre outubro e novembro, na previsão para a safra brasileira de soja em 2018.

Com o ano praticamente fechado, safra 2017 de grãos na Bahia está 42,6% maior que a de 2016
A apenas um mês para o fim do ano, a estimativa de novembro para a safra baiana de cereais, leguminosas e oleaginosas (grãos), em 2017, totalizou 8.078.077 toneladas, o que representa um crescimento de 42,6% em relação à de 2016 (5.665.096 toneladas). A área a ser colhida com grãos está estimada em 3.050.718 hectares, mantendo-se em crescimento (12,1%) frente a 2016 (2.721.273 ha).

Não houve revisões em relação à estimativa de outubro nem para produção baiana de grãos, nem para a área a ser colhida.

Em relação a 2016 (+42,6%), o crescimento previsto para a safra 2017 de grãos na Bahia se consolida acima da média nacional. A produção brasileira deve fechar 2017 em 241,9 milhões de toneladas, 30,2% maior que a de 2016 (185,8 milhões de toneladas).

A Bahia deverá terminar 2017 como o oitavo estado produtor de grãos do país, responsável por 3,3% da safra nacional. Mato Grosso é o líder, sendo responsável por pouco mais ¼ da produção (26,2%), seguido pelo Paraná (17,2%) e Rio Grande do Sul (15,1%).

Dos 34 produtos investigados pelo LSPA na Bahia, 13 devem ter safra maior em 2017, na comparação com o ano passado
As produções que mais devem crescer no estado são as de feijão 2ª safra (+233,83% ou +88.845 toneladas); café canephora (+189,43% ou +93.972 toneladas) e milho 2ª safra (+150,98% ou +311.127 toneladas).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas