Imigrante que escalou prédio para salvar criança ganha cidadania francesa

mundo
28.05.2018, 15:18:15
Atualizado: 28.05.2018, 16:18:47
(Foto: Reprodução / Facebook)

Imigrante que escalou prédio para salvar criança ganha cidadania francesa

Além da cidadania o rapaz também ganhou um emprego e deverá trabalhar no corpo de bombeiros

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O imigrante malinês Mamoudou Gassama, de 22 anos, ganhou a atenção do mundo inteiro, no último sábado (26), quando escalou um prédio no norte de Paris para evitar a queda de um menino de apenas 4 anos. Nesta segunda-feira (28), ele se encontrou com o presidente Emmanuel Macron e ganhou não só a cidadania francesa como um emprego no corpo de bombeiros.

O vídeo que registou o salvamento viralizou na internet. As imagens mostram que ele só precisou de cerca de 30 segundos para escalar os quatro andares usando os braços. Assista abaixo:

Para o presidente francês, este foi um ato excepcional, e por isso, todos os documentos de Mamoudou deverão ser regularizados para dar início ao processo de cidadania francesa. “Você se tornou um exemplo para muitas pessoas, é normal que a nação demonstre seu reconhecimento”, declarou o presidente Emmanuel Macron.

Macron tem recebido diversas críticas desde que tomou a postura de tratar mais severamente os casos de imigrantes ilegais no país e favorecer suas expulsões.

Gassama assumiu ter agido por impulso “porque se tratava de uma criança e ele gosta muito de crianças”, de acordo com a Rádio França Internacional. Ele conta que no momento não avaliou o risco. “Ouvi as buzinas, os carros em volta buzinarem, atravessei a rua para salvá-lo e graças a Deus consegui”, declarou. Ao jornal “Le Parisien”, o imigrante malinês disse que “vai à academia, corre com frequência e joga futebol”.

Em entrevista o canal BFMTV, o ‘homem-aranha’ malinês que sentiu medo instantes após ter salvado a criança. “Fui para a sala do apartamento e comecei a tremer. Precisei me sentar e perguntei ao menino porque tinha feito aquela bobagem. Ele não me respondeu”.

O menino, que logo foi atendido pelo Corpo de Bombeiros, saiu ileso e só perdeu uma unha. Gassama sofreu apenas alguns arranhões.

O pai da criança, de 36 anos, foi detido para interrogatório. Ele disse que deixou o garoto sozinho em casa por “alguns minutos” para fazer compras. A mãe não estava em casa. A Justiça retirou temporariamente a guarda do menino da família.
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas