Itapuã tem aglomerações em bancos e lotéricas no primeiro dia de medidas restritivas

coronavírus
10.06.2020, 15:48:00
Atualizado: 10.06.2020, 15:49:37
Primeiro dia de medidas em itapuã teve aglomerações (Foto: Tiago Caldas/CORREIO)

Itapuã tem aglomerações em bancos e lotéricas no primeiro dia de medidas restritivas

Clínica foi interditada por descumprir regras setoriais

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Num determinado momento, as pessoas se cruzam. Ficam lado a lado ou até mesmo cara a cara em curtíssima distância. De longe, não dá para saber se a fila é para atendimento na agência da Caixa Econômica Federal ou na lotérica ao lado na Avenida Dorival Caymmi, em Itapuã. O primeiro dia de medidas restritivas no bairro, nesta quarta-feira (10), foi marcado por aglomerações na porta das instituições financeiras. 

Nesta segunda-feira (8), o prefeito ACM havia anunciado que Itapuã e São Caetano eram os próximos bairros a terem medidas restritivas para combater a covid-19. Segundo os dados da prefeitura, Itapuã teve 245 casos de pessoas infectadas com o coronavírus em 30 dias, com 162 sendo somente na última semana. São sete mortes pela covid-19 no bairro, que no total teve 265 casos registrados nesta pandemia. 

"Itapuã era um bairro que já estava no nosso radar há algum tempo. Tem havido muita movimentação, comércio, com forte presença de feirantes e ambulantes. Peço a compreensão dos moradores", disso o prefeito ACM no dia que anunciou a medidas.  

Esta manhã, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) interditou, a Clínica Médica Abaeté, em Itapuã por descumprir as normas gerais de funcionamento e o protocolo setorial, medidas obrigatórias para que as clínicas possam funcionar de forma regular no município. No momento da fiscalização, havia muitos pacientes causando aglomeração no local. 

Além disso, a clínica estava descumprindo outros itens como o uso incompleto de EPI pelas atendentes da recepção, ausência de álcool em gel e da fixação dos protocolos de funcionamento e disponibilização de café para clientes, o que está proibido.

Sedur interdita clínica médica por não atender protolocos de atendimento
(Foto: Sedur/Divulgação)

Aglomerações
Na fila da Caixa, defronte ao supermercado Rede Mix, a senha de número 82 era da assistente social Maria Arlene Lopes Oliveira, 54 anos. Desempregada, ela foi em busca do auxílio emergencial.

"Em casa, a gente faz tudo para não ser contaminado. Aumenta a higienização, não recebe visitas, só sai quando necessário e usando máscara e álcool em gel, mas quando chega aqui, nessa fila, a sensação é de que vou sair daqui infectada”, declarou ela.

À frente de Maria Arlene estava o ajudante de pedreiro Claudemiro Souza de Almeida, 55. Ele também encarava a fila por não ter escola. “Ninguém quer estar aqui, sabendo que essa muvuca só faz aumentar o risco de contaminação da doença (covid-19), mas é correr esse risco ou morrer de fome. Qual é a situação pior? Me diga?”, indagou, ao mesmo tempo que se justificava. 

No emaranhado de gente, estava a dona de casa Maria das Graças Oliveira, 53, na fila para a lotérica. Ela estava ali porque precisa pagar contas, algumas já tinham vencido. “Tentei vir outras vezes, mas estava muita cheia. Pensei que hoje estaria mais vazio por causa da medida (restritiva), mas que nada. A fila está igual a outros dias. Ia desistir, mas resolvi encarar porque tem conta que já venceu no dia 5”, declarou ela. 

A agência da Caixa e a lotérica não foram as únicas com aglomerações em Itapuã. Havia pessoas umas próximas as outras nas filas do Banco do Brasil, Bradesco e Itaú. O problema também estava numa lotérica no início da Dorival Caymmi, sentido São Cristóvão. 

“Lá na frente está pior. As pessoas se embolam e não sabe qual é a fila para fazer pagamento e qual é a fila para fazer jogo. Uma bagunça”, disparou a dona de casa Ana Paula Souza, 35, que estava o fundo da fila. 

Ambulantes
Houve também a aglomeração entres os ambulantes. Eles estavam reunidos atrás de um ponto de ônibus situado no início da Avenida Dorival Caymmi e reclamavam que não tinham sido cadastrados pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) para receber a cesta básica referente aos sete dias de medida restritiva em Itapuã. 

Ambulates dizem que não foram cadastrados para recebem cesta báscia (Foto: Bruno Wendel/CORREIO)

“Estendemos que a medida é necessária e concordamos, mas o que está acontecendo que muitos aqui não estavam na hora que a Semop chegou ontem no final de tarde e pegou os nomes de algumas pessoas e fez o cadastro. E as outras? Ficam como? A cesta é para passar sete dias e se prorrogar? Vamos ficar 14 dias passando fome?”, disse a ambulante Maria Nilza Carvalho, 58 que trabalha em frente ao Mercado Municipal de Itapuã. 

Stefeny Maria Costa, 38, que também é ambulante e trabalha no mesmo lugar que Nilza Maria, disse que estava no local desde cedo e que ninguém da prefeitura esteve no local para esclarecer o que aconteceu. “É uma desorganização e total falta de respeito com todos nós. Se cadastraram algumas pessoas ontem (9), deveriam retornar hoje para dar continuidade, pois eles sabem que aqui em Itapuã milhares de pessoas trabalham como ambulantes. Madruguei aqui atrás de uma explicação e não apareceu ninguém”, desabafou.

Procurada, a Semop informou apenas que está cadastrando os ambulantes na região.

A Sedur realizou 40.859 vistorias em estabelecimentos, desde o dia 18 de março até terça-feira (09) de junho, durante a fiscalização da força-tarefa criada pela Prefeitura para monitorar o cumprimento das medidas de prevenção e controle do coronavírus. As ações contaram com as participações da Guarda Municipal (GM) e da Polícia Militar (PM).

Foram realizadas 40.859 vistorias:  

- 766 Academias
- 605 Instituições de Ensino (faculdades, cursos, escolas, creches)
- 264 Templos religiosos
- 85 Casas de eventos
- 3 Cinemas
- 9 Parques 
- 3 Clube Social 
- 190 Shoppings / Centros comerciais 
- 24 Call Centers 
- 61 Obras 
- 17.338 Bares / Restaurantes / Conveniências/ Depósitos de bebidas  
- 4.115 Clínicas de Estética, Salão de Beleza e Barbearias  
- 913 Supermercados 
- 392 Lojas em comércio de rua, com área superior a 200 metros quadrados 
- 8.894 Lojas em comércio de rua, com área inferior a 200 metros quadrados 
- 110 Quadras e campos de futebol 
- 113 Barracas de chapa
- 203 Agências bancárias / 30 notificadas 
- 8 Comércios de Peixe 
- 68 Casas Lotéricas
- 15 Veículos com atividade sonora 
- 198 Aglomerações de pessoas
- 4 Caça Níqueis / Casa de jogos
- 3 Food Trucks
- 1 Sauna
- 55 Postos de combustível
- 3 Mercearias
- 15 Praças  
- 10 Órgãos Públicos Municipais
- 5 Órgãos Públicos Estaduais
- 1 Correio
- 1 Terminal Marítimo 
- 3 Clínicas Odontológica 
- 7 Oficinas mecânicas 
- 2 Clubes social
- 16 Farmácias
- 1 Delicatessen
- 2 Trailer
- 1 Festa particular 
- 1 Baiana de Acarajé 

Interdição: 2.902 estabelecimentos comerciais 

Cassação de alvará de funcionamento: 91 estabelecimentos comerciais

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas