Já é possível curtir em Salvador, mas com moderação; veja como

bahia
07.08.2021, 11:00:00
(Arisson Marinho)

Já é possível curtir em Salvador, mas com moderação; veja como

Vilas gastronômicas vão, aos poucos, ganhando o público com comida, bebida, música ao vivo e cuidados

Sentar numa mesinha para comer um hambúrguer de tilápia com provolone ou simplesmente abrir aquela cerveja gelada e curtir uma sexta ouvindo música ao vivo. Paquerar também, quem sabe. Parece um absurdo pensar nisso, durante a pandemia, né? Contudo,  desejos que pareciam distantes já não estão tão longe assim. 
É possível buscar aquela roupinha com cheiro de guardado e curtir, com moderação e cuidados, a noite de Salvador. Com o afrouxamento das medidas restritivas para conter a covid-19, já podemos sair um pouco da toca e ver gente de máscara. A dica é começar pelas vilas gastronômicas, um bom lugar para,  gradativamente, retomar a vida social. 

Vacinado com a primeira dose, Matheus Lopes resolveu visitar a Nossa Vila, um local relativamente novo na cidade, localizado no antigo Clube Espanhol, em Ondina. Bem ventilado e respeitando os protocolos de segurança contra a covid, o local oferece  um variado tipo de comida, drinks, cerveja e uma programação musical no melhor estilo pocket show, apresentações mais simples, com voz e violão, permitidas pela prefeitura. 

“Ter uma população gradativamente vacinada,  ter tomado a minha dose e ver ambientes abertos, como Nossa Vila, me deixou seguro para sair um pouco de casa. Acho que o caminho é escolher lugares arejados como este, onde seja possível o distanciamento das mesas. Acho que lugares assim deveriam perdurar por mais tempo, com ou sem pandemia”, diz Matheus, de 30 anos, enquanto tomava uma dose de uísque.
Nossa Vila funciona de quarta a domingo, sempre com apresentações musicais num lugar espaçoso e aberto. O local oferece um  menu que vai de hambúrguer a pratos nordestinos, como cuscuz (gourmet). Além de encher a barriga fora de casa, ouvir uma música ao vivo também é um atrativo neste retorno. “Nem lembro a vez que ouvi uma banda ao vivo. Muito bom e emocionante”, completa Matheus. 

Vacinados têm se sentido mais seguros para curtir  a noite das vilas gastronômicas com música ao vivo (Foto: Arisson Marinho/CORREIO) 

Cantor da banda CBX Samba Club, que toca todas as quintas no local, Renan não segura a emoção de ver novamente o público, mesmo que um pouco distante, lá das mesas. “Nada de aproximação do palco. Ainda não é possível ver a turma dançando pertinho, mas só de cantar novamente para nosso público, poxa, emociona demais! Este retorno ainda é devagar, com shows mais acústicos. Ainda vivemos a expectativa de voltarmos ao normal, mas já demos um passo importante. Só é preciso mantermos o foco, cuidarmos de nós e respeitarmos os protocolos. Vai passar”, garante Renan.

Produtor do local, Vinícius Coutinho garante que todos os cuidados contra a pandemia estão sendo levados ao pé da letra. “Neste retorno gradativo, locais abertos, espaçosos e arejados como Nossa Vila, é uma tendência que não sairá mais das nossas vidas. Com certeza, será a preferência e estamos satisfeitos com nosso público, que tem respeitado os protocolos”, garantiu. “É muito gratificante e necessário para o nosso segmento esse retorno. É preciso se adaptar, pois ainda não voltamos à normalidade. Ainda precisamos nos cuidar.  Salvador é a cidade da música, da cultura e também reconhecida internacionalmente pela sua culinária. O diferencial é que hoje podemos fazer tudo isso dentro de uma estrutura segura e adaptada para o momento”, completa Ricardo Cal, sócio da Oquei Entretenimento, empresa responsável pelo Nossa Vila. 

Novos adeptos - Um pouco distante dali, no Jardim dos Namorados, outra vila gastronômica também vem ganhando novos adeptos. Aberto e arejado, o local abriga seis restaurantes, além de apresentações musicais. Responsável pelo Pai Inácio Beach, Fernando Tavares comemora o retorno do público, mas pede atenção com os cuidados para evitar o contágio com o  coronavírus. “As pessoas começaram a frequentar para comer. Agora, com uma boa parte vacinada, já vejo clientes mais tranquilos para curtirem uma música, beberem e conversarem. Mas é importante manter os cuidados. Aqui mantivemos a higienização, os funcionários com máscara e temos seguranças para chamarem atenção de quem não cumpre as orientações” conta Fernando.

Restaurantes ao ar livre precisam respeitar  protocolos, como uso de máscara e distanciamento das mesas (Foto: Arisson Marinho/CORREIO) 

Nas mesas, o público pode ficar sem máscara, desde que fique sentado. Caso precise circular, como ir ao banheiro, é preciso utilizar a máscara. Mesas são mais afastadas, mas sempre tem alguém que acaba quebrando os protocolos. “Acontece, não posso negar. É pouco, mas surge alguém que não toma os cuidados. Somos bem rigorosos nisto. Queremos zelar pela vida de todos e saber  aproveitar bem este momento de reabertura. Muita gente já vacinada está vindo curtir uma música. Quem ainda não se vacinou, dá para segurar um pouquinho em casa. Tenho fé que voltaremos ao normal novamente”, completa. 

Tem até gente que está saindo, mas ainda com um pouco de receio. Não pela pandemia. “Cheguei para comer alguma coisa, tomar uma cervejinha e ouvir música. Me vacinei, estou me sentindo bem e alegre de ver este movimento aqui. Meu receio, na verdade, é você não colocar meu nome aí na matéria. Para todo caso, ainda estou trabalhando, né? A patroa não sabe que estou aqui”, avisa um soteropolitano, na vila gastronômica do Jardim dos Namorados. Pelo visto, as coisas, de fato, estão retornando à sua vida normal. Incluindo o famoso vale night.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas