Justiça concede habeas corpus, e Iuri Sheik deixa a cadeia

salvador
14.09.2020, 12:14:00
(Reprodução)

Justiça concede habeas corpus, e Iuri Sheik deixa a cadeia

Influenciador é acusado de matar ex-sócio a tiros durante paredão

O influencer digital Iuri dos Santos Abrão SIlva, mais conhecido como Iuri Sheik, teve habeas corpus concedido pelo Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) e deixou o Complexo da Mata Escura no início da tarde desta segunda-feira (14). Ele estava preso de maneira preventiva desde junho do ano passado por uma acusação de homicídio. O habeas corpus foi deferido pelo desembargador Eserval Rocha, do TJ-BA. 

Ele deixou a cadeia por volta das 12h30, indo a pé até o carro de um advogado, que o esperava em frente à prisão. Ele vai responder por homicídio em liberdade. "A Justiça baiana vai saber a verdade", disse ele. Questionado se estava arrependido, ele respondeu:  "Jamais. Deus é comigo". Antes, um dos defensores de Iuri, o advogado Victor Valente, afirmou que para ele estar arrependido, sua culpa deveria estar provada, o que não aconteceu ainda.

Em conversa por telefone com o CORREIO, o outro advogado do influencer, José Crisostemo, comemorou a concessão feita pela Justiça. "Essa decisão foi uma medida acertada. Estávamos buscando ela e o próximo passo é continuar na mesma batalha para dar uma decisão mais justa. Para a família dele, isso significou muito, foi um alento porque todos sabiam da capacidade dele de responder em liberdade e com muito trabalho conseguimos isso", disse.

Sheik é acusado pelo assassinato do empresário William Oliveira, conhecido como Will, durante o São João de 2019, em Santo Antônio de Jesus. O Ministério Público da Bahia (MP-BA) afirma que Sheik matou o ex-sócio da Black Style durante uma briga em uma festa de paredão. Segundo o ministério, o crime teve motivo fútil: Will teria se recusado a cumprimentar Sheik, que se irritou.

A reportagem tentou contato com amigos e familiares da vítima para saber o que pensam sobre a liberdade concedida ao influencer, mas não ainda não teve retorno. A conta de Iuri Sheik no Instagram, com quase 250 mil seguidores, segue privada. Em agosto, a defesa dele havia informado que as duas lojas de roupas que Iuri mantinha em Salvador estavam temporariamente fechadas.

Relembre o caso

Iuri Sheik e Will se desentenderam durante tentativa de cumprimento (Foto: Reprodução)

O influenciador digital foi acusado, e confessou, ter atirado contra um homem identificado como William Oliveira, 28 anos, ex-sócio da banda de pagode Black Style. O fato aconteceu na noite de 23 de junho de 2019, em uma festa de paredão em Santo Antônio de Jesus, no Recôncavo Baiano. A vítima foi atingida no peito duas vezes, chegou a ser internada, mas morreu três dias depois. William deixou três filhas: a mais velha de 13 anos, uma de 11 e a caçula, que na época tinha apenas 40 dias de vida. 

Conforme noticiado pelo CORREIO na data do ocorrido, Iuri teria disparado contra William porque este tinha recusado cumprimentá-lo.  “Inicialmente, a versão que chegou para nós foi que havia acontecido uma briga de trânsito. No entanto, foi ouvindo as testemunhas que chegamos à nova versão do fato. Todos ouvidos até agora contam que Iuri estendeu a mão e William disse: ‘não vou dar a mão porque não gosto de você’. Então, Iuri foi no carro, pegou a arma e atirou”, contou o delegado Edilson Magalhães.

A recusa de Willian seria por causa de uma rixa antiga com o digital influencer. “Parece que foi coisa de fofoca, picuinha no meio artístico. O porquê da rixa não é o mais importante. O importante é o fato do cara ter atirado porque o outro não o cumprimentou. Isso é o fato imediato. Temos testemunhas que viram ele atirando”, complementou Magalhães.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas