Laudo do IML descarta que MC Kevin tenha sido empurrado de varanda

em alta
23.05.2021, 16:48:54
Atualizado: 23.05.2021, 17:06:16
MC Kevin, que era casado com Deolane, estava em quarto de suíte com amigos e uma modelo

Laudo do IML descarta que MC Kevin tenha sido empurrado de varanda

Conclusão aponta que queda do cantor Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, “teve como causa aparente um acidente”

O laudo do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) concluiu que a queda do cantor Kevin Nascimento Bueno, o MC Kevin, “teve como causa aparente um acidente”, segundo divulgou neste domingo (23) o jornal O Globo. MC Kevin morreu na noite do último domingo, dia 16, depois de cair da varanda da suíte 502 de um hotel da orla da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. 

O documento é assinado pelo perito Luiz Alberto Moreira Coelho e aponta que não havia indícios de “briga” ou “ações violentas” que resultaram na morte do cantor.

Além dos depoimentos das pessoas que estavam com o músico, vídeos que mostram momentos antes e após a queda do músico são analisados pela polícia. 

Antes da queda
MC Kevin consumiu R$ 1.555,40 no Kiosque Carioca, na orla da Barra da Tijuca, momentos antes da morte do funkeiro. Desse valor, R$ 1.070 foram de consumo de bebidas alcoólicas, como caipirinha, caipivodka, cerveja, tequila, gim, além de enérgico, que não tem álcool, mas é consumido junto com outras bebidas.

Traição, drogas e tentativa de fuga: as últimas horas de MC Kevin

As informações são do jornal O Globo, que teve acesso à nota fiscal do que Kevin consumiu na companhia dos amigos Victor Elias Fontenele, Jhonatas Augusto Cruz e Gabriel, além da modelo Bianca Domingues, que eles conheceram naquele mesmo dia, na praia.

O grupo consumiu ainda isca de peixe com batata frita, camarão sem casca com aipim, contra-filé, água de coco, refrigerantes e sorvete com brownie. A conta foi paga no cartão de débito às 18h02, apenas 11 minutos antes de bombeiros serem acionados para socorrer o funkeiro, que caiu da suíte 502 do hotel, que fica logo em frente à praia onde eles estavam. 

Nota fiscal mostra consumo em quiosque momentos antes da morte de MC Kevin (Foto: Reprodução)

Em depoimento prestado à polícia, os amigos de MC Kevin que estavam com ele no quiosque relataram que sentaram na mesa 22, que fica perto da areia da praia. Bianca estava na 35, onde foram consumidas sete caipivodkas com frutas. A moça trocou olhares com o funkeiro e foi convidada para se juntar a eles, aceitando o convite. Pouco depois, combinaram de fazer sexo no hotel, pelo valor de R$ 2 mil.

A polícia já apurou também que o grupo fumou maconha no local. Um dos amigos de Kevin, Jhonatas disse em depoimento que eles “beberam diversos drinks e fumaram alguns baseados”, e que os cigarros “foram trazidos de São Paulo” e que "cada um comprou a sua droga".

Segundo o inquérito policial, pouco depois de 17h, Victor e Bianca deixaram o quiosque e foram para o hotel. Minutos depois, Kevin foi na mesma direção, já que os três combinaram de transar. Jhonatas tentou participar das relações, mas Bianca se recusou.

A investigação aponta ainda que, Kevin foi para a varanda com Bianca, com medo de ser flagrado pela esposa, a advogada Deolane Bezerra, que estava hospedada no quarto 1305 do mesmo hotel. Assustado e com medo da reação da esposa, com quem estava casado há apenas 20 dias, o funkeiro tentou passar para o andar de baixo, pela sacada, mas se desequilibrou e caiu de uma altura de 18 metros.

Kevin chegou a ser levado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea, mas morreu no local. Ele sofreu 13 fraturas, do nariz, maxilar, mandíbula e costelas, além de hemorragia na cabeça, perfuração no pulmão e rompimento do fígado. A causa da morte é descrita como traumatismo crânio encefálico.



***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas