Lelo Filho fala de racismo, homofobia e ditadura em Fora de Ordem

entretenimento
13.10.2018, 08:05:00
(Foto: Divulgação)

Lelo Filho fala de racismo, homofobia e ditadura em Fora de Ordem

Primeiro espetáculo solo do ator da Cia. Baiana de Patifaria é inspirado na canção de mesmo nome de Caetano

O primeiro espetáculo solo do ator Lelo Filho, intitulado Fora de Ordem, mistura teatro e cinema sob a luz de temas como ditadura, racismo, homofobia, violência e intolerância social. Inspirado na canção homônima de Caetano Veloso, a montagem volta a cartaz neste sábado (13), no Teatro Módulo.

Ganhador do Prêmio Myriam Muniz 2013 da Funarte, o espetáculo conta a história de duas gerações da família Telles Pinto, pós golpe militar de 1964, e repassa 50 anos de história do Brasil, entre 1968 e os dias de hoje.
 
Lelo dá vida a quatro personagens em um roteiro que mistura ficção e realidade. “Eu li o livro Verdade Tropical e fiquei muito sensibilizado com a história desse período que o Caetano conta”, revela o ator,  que trabalhou dois anos e meio, com auxílio de sociólogos, filósofos e  antropólogos para chegar no texto final da peça. “E ainda assim o texto acaba sofrendo algumas adaptações, como por exemplo no momento político em que estamos vivendo”, explica Lelo, que também assina a direção.

De acordo com ele, a peça busca atingir o público jovem, que pouco conhece a realidade atual. “Eu fui estudante na época da ditadura e esses temas sequer poderiam ser abordados. Eu acho que essa juventude está tendo acesso a esse conteúdo através de Fora de Ordem, que retrata a história das mães, dos pais e da avós de muitos destes jovens”, pontua. 

"Recriar um ambiente de censura e arbitrariedades foi como mexer num baú de memórias do período em que textos teatrais passavam pelo crivo da censura, novelas eram proibidas no dia de seu lançamento, discos de vinil tinham faixas arranhadas, letras de música ganhavam metáforas para driblar as proibições do regime militar”, recorda Lelo FIlho.

O espetáculo conta com  participações especiais, vozes em off e projeções, de atores de várias gerações do teatro baiano, como Alan Miranda, Bertrand Duarte, Diogo Lopes Filho, Hamilton Cerqueira Lima, Jorge De La Puente, Mário Bezerra, Talis Castro, Vinícius Nascimento, Wanderley Meira e o ator mirim João Victor Sobral.

O ator faz questão de deixar claro que Fora de Ordem é apartidário. “Não defendo nenhum partido ou ideologia, eu defendo humanidade”.


SERVIÇO

Espetáculo: Fora de Ordem

Atuação, texto e direção: Lelo Filho

Onde: Teatro Módulo (Rua Prof. Magalhães Neto, 1177, Pituba).

Temporada: sábados, às 20h, até 03/11.

Ingresso: R$ 50| R$ 25. Vendas: bilheteria e ingressorapido.com.br.


*Sob orientação da editora Ana Pereira

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas