Leva um casaquinho: temperatura despenca, e frio segue na Bahia até a próxima semana

bahia
30.06.2021, 05:15:00
Atualizado: 30.06.2021, 16:10:36
(Foto: Nara Gentil/CORREIO)

Leva um casaquinho: temperatura despenca, e frio segue na Bahia até a próxima semana

Em Salvador, também será preciso se apegar ao cobertor

Bota casaco, enrola na coberta, chora pra sair da cama e dá aquela reclamadinha pra Deus, os Orixás e os mais chegados no zap: êta frio da ‘lá ela’. Três dias depois de registrar a temperatura mais fria do ano, Salvador voltou a ver a temperatura cair para 20,6ºC na manhã dessa terça-feira (29). O maior gelo do ano na capital baiana aconteceu na manhã do dia 26 de junho, quando os termômetros chegaram a 20,2ºC.

No interior do estado, o bicho pegou ainda mais. Correntina registrou ontem 11,2ºC de temperatura. Em Piatã, a situação foi semelhante, com 12ºC e sensação térmica que chegou a 3ºC.

O leitor bem informado deve ter lido que uma frente fria está pairando pelo Sul, Sudeste e Centro-Oeste do país, levando até neve. Mas a meteorologista Cláudia Valéria, do Instituto Nacional de Meteorologia, explica que esta força da natureza não deve atingir a Bahia.

"Temos uma certa influência. Mas não podemos falar de massa de ar frio chegando à Bahia. Vai continuar com baixas temperaturas ao amanhecer nos próximos dias em todo estado", disse a especialista.

Saiba mais: Há risco de nevar em Salvador? Veja explicação meteorológica

Em Mucugê, na Chapada Diamantina, também fez 12ºC. Um frio retado, daqueles que dá a maior preguiça de sair da cama a quase todo mundo, com raras exceções como é o caso de Antônio Roberto Santos Silva, o Roberto Locutor, que já dorme com a roupa de sair para fazer a sua corrida diária às 6h.

"Até para a gente trocar de roupa é bronca. Já deixo a luva separada, bandana, gorro e corro assim. Tenho um corta-vento, que é um agasalho que diminui o frio, uso manguito, blusa UV, às vezes coloco uma calça de corrida ou bermuda com meia de compressão alta. Pra sair tem que ser assim e no decorrer do percurso vamos eliminando algumas peças", contou Roberto, que é locutor esportivo.

Ele diz que semanas antes do São João já fazia frio no município, depois deu uma subida na temperatura antes de cair novamente. Pela experiência própria, espera que até o início de agosto seja com essa rotina. 

Meteorologista do Inema, Diva Cordeiro explica que áreas serranas da Chapada Diamantina e Sudoeste como Mucugê, Correntina, Piatã e Vitória da Conquista (a chamada Suíça Baiana) costumam ser mais frias. 

No litoral, ela explica que a parte subtropical do Oceano Atlântico, que corresponde às áreas das regiões Sul e Sudeste do Brasil, está sofrendo forte atuação do chamado sistema de alta pressão, responsável por movimentar os ventos em direção à costa do país. 

"Esses ventos trazem um ar mais frio para a nossa costa, nesse caso para a Bahia inteira. Eles acontecem, cai a temperatura e a sensação térmica também", explica Diva.

Como estamos no inverno, também há menos radiação solar incidindo em nosso hemisfério Sul. Somando esse fator à maior atuação das altas pressões subtropicais, está montada a equação para que esse frio, em Salvador e no litoral, se mantenha pelo menos até o final de semana. 


Capa necessária
Capa necessária (Nara Gentil/ CORREIO)
Todas de casaquinho
Todas de casaquinho (Nara Gentil/ CORREIO)
Frio em Salvador
Frio em Salvador (Nara Gentil/ CORREIO)

"Teremos entrada de ar subtropical até a madrugada de segunda. Isso, além de diminuir a temperatura, forma nebulosidade e traz chuvas também. No final de semana, temos previsão de chuva principalmente na madrugada de sexta, correndo todo o final de semana", disse.

O resto do inverno litorâneo deve permanecer sem grandes mudanças, com as chuvas típicas no litoral e a temperatura variando entre 20ºC e 26ºC. No entanto, o que chamou a atenção de Cláudia foi o registro de temperaturas mais baixas ainda em junho, sendo que julho e agosto costumam ser mais frios. O dia mais frio de 2020, por exemplo, foi 4 de agosto, com 20,4ºC.

"Com isso, já é possível dizer que 2021 está sendo mais frio que o ano passado. E se a tendência de julho e agosto serem mais frios se manter, a expectativa é que a temperatura baixe ainda mais nos próximos dias", prevê a especialista. 

Fogão a lenha
Na cidade mais alta e fria do Norte-Nordeste, o morador Élimas Matos Ferreira diz que os habitantes gostam do frio, mas não há condição de se preparar com lareiras, fogueiras e semelhantes para se aquecer. Estamos falando da cidade de Piatã, na Chapada Diamantina.

Quase todas as casas na cidade têm fogão a lenha por conta desse frio. A cozinha é a grande sala de visita das pessoas, como narra Élimas. "Aqui todo mundo chega e vai para a cozinha, toma um bom café porque aqui tem tradição a qualidade, e vai brigando com esse frio", explica.

O morador afirma que o padeiro da cidade é quem costuma contar para as pessoas as temperaturas mais baixas do termômetro que fica na praça do município. "Ele passa lá bem cedo e vai contando. Nessa semana já registrou até 8ºC. Essa semana foi fria, mas já não espanta. Claro que a gente sente frio, mas já acostumamos e estamos esperando um início de mês de julho muito frio", disse.

A altura da cidade, com 1.268 metros de altitude, faz com que a sensação térmica seja ainda mais braba, chegando a 3ºC de sensação em alguns momentos do dia, como o início da manhã e durante as madrugadas. 

Dez cidades baianas onde vai fazer mais frio:

Correntina (Máx. 32°C e Mín. 11°C)
Piatã (Máx. 23°C e Mín. 11°C)
Brumado (Máx. 31°C e Mín. 16°C)
Mucugê (Máx. 24°C e Mín. 13°C)
Itapetinga (Máx. 31°C e Mín. 16°C)
Vitória da Conquista (Máx. 27°C e Mín. 13°C)
Delfino (Máx. 29°C e Mín. 16°C)
Irecê (Máx. 30°C e Mín. 17°C)
Itiruçu (Máx. 27°C e Mín. 15°C)
Ipiaú (Máx. 28°C e Mín. 16°C)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas